Trombose: o que se sabe sobre os casos nas vacinas contra Covid

Casos de trombose nas vacinas colocam dúvidas na população
Maior Menor
Marcello Sapio

Marcello Sapio

22 abril 2021

Redator

Casos de trombose nas vacinas da AstraZeneca e da Janssen colocam dúvidas sobre os imunizantes e seus efeitos colaterais

Nas últimas semanas, a Janssen paralisou a distribuição da sua vacina na União Europeia. O motivo? Foram relatados casos de trombose, principalmente em mulheres, após o uso do imunizante.

Outra vacina contra o coronavírus também entrou em xeque: a da AstraZeneca, que inclusive, é distribuída no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Foram relatados os mesmos casos de trombose, inclusive por aqui, fazendo com que fique um enorme ponto de interrogação sobre as vacinas.

O que é trombose e seus fatores de risco

Antes de falar dos casos, é importante saber o que é a trombose. Conhecida como Trombose Venosa Profunda (TVP), a doença é a formação de um coágulo sanguíneo em uma ou mais veias da parte inferior do corpo, normalmente nas pernas. Em outras palavras, é quando o sangue começa a se aglomerar nas veias, afetando a distribuição para todo o corpo. É uma doença autoimune e, apesar de ter cura, as sequelas são graves.

Isso pode acontecer por diversas razões, mas principalmente por uma predisposição genética, que pode ser identificada através de exames, mas também por fatores de risco. Segundo o Dr. Carlos Schlischka, médico JOLIVI, são esses são alguns:

  • Tabagismo;
  • Obesidade;
  • Sedentarismo.

Esses comportamentos, agregados à predisposição genética, aumentam consideravelmente os riscos da trombose se manifestar. Além deles, alguns fatores também podem ser sinais de predisposição à trombose, como varizes, bronquite crônica e doenças vasculares.

Outro ponto importante é a relação com o uso dos anticoncepcionais. O uso frequente desse remédio tem como efeito colateral o aumento no risco de trombose, o que pode ser considerado um fator de risco. Segundo a Agência Europeia de Medicamento, o risco de uma mulher manifestar trombose com o uso de anticoncepcional é de uma em mil, ou seja, de 0,1%.

Apesar de baixo, são números muito superiores aos detectados nas vacinas contra Covid-19.

Efeito colateral na vacina?

Como dito anteriormente, há relatos de mulheres abaixo dos 60 anos que tiveram trombose após a aplicação da vacina das AstraZeneca e da Janssen, como foi evidenciado em um estudo publicado pela The New England Journal of Medicine, a revista científica de Harvard. Inclusive, após o aparecimento dos casos, a Janssen parou os testes nos Estados Unidos e também a distribuição foi interrompida na União Europeia.

Por outro lado, a incidência dos casos é muito baixa. Na Europa, foram registrados 222 casos de trombose em um universo de 35 milhões de vacinados com o imunizante da AstraZeneca, o que dá um para 175 mil. 

O que é uma incidência, para efeito de comparação, muito menor que o dos anticoncepcionais (que é de uma em mil). Além disso, as mulheres têm mais chances de adquirirem doenças autoimunes que os homens.

O doutor ressaltou esses números e fez o alerta: “Nenhuma vacina é inócua, sem nenhum efeito colateral. Podem ter sim. Mas os dados mostram que é uma amostra muito pequena, não vale a pena parar (a distribuição e os testes) por conta disso”.

“Também é preciso ver em quais circunstâncias estão essas mulheres que tiveram trombose. Porque a própria Covid aumenta os riscos de ter trombose, como o uso de anticoncepcionais ou com alguns dos comportamentos de risco. É necessário ver se essas mulheres tinham predisposição ou outro fator que aumente os riscos da manifestação da doença”, finalizou.

 Como a saúde natural pode ‘barrar’ a trombose

É possível evitá-la a partir de uma alimentação e um estilo de vida que apontem para uma rotina equilibrada. Apesar disso, as pessoas que possuem uma predisposição genética precisam ter cuidados a mais. A saúde natural pode ser uma ajuda poderosa para evitar o surgimento da trombose. Assim, o Dr. Carlos recomenda os seguintes elementos:

  • Ômega 3;
  • Ginkgo biloba;
  • Castanha da Índia;
  • Groselha Negra.

Mas o Dr. Carlos faz um aviso: É fundamental procurar um médico para que ele determine, de acordo com as particularidades de cada paciente, se o consumo desses nutrientes e fitoterápicos é o mais recomendado, além de verificar a dosagem para cada caso. Um dos alertas do médico integrativo é que, quando usados sem esse acompanhamento, principalmente os fitoterápicos em altas doses, podem ter consequências graves, como uma hemorragia interna.

Referências

  • GREINACHER, Andreas, et al. Thrombotic Thrombocytopenia after ChAdOx1 nCov-19 Vaccination. The New England Journal of Medicine. 9 de abril de 2021.

 

 

Marcello Sapio

Marcello Sapio

22 abril 2021

Redator

Conteúdos Relacionados