O Robinson foi escalado de última hora

Maior Menor

Leitor, você gostou da escalação do Tite para a Copa da Rússia?

Assim como o Neymar, aqui na Jolivi descobrimos um outro jogador que está voltando aos campos (e desaposentando a chuteira) depois de ter passado por uma cirurgia.

De última hora, o nosso assinante Robinson Vidal voltou a ser escalado para as peladas. E hoje eu vou compartilhar com você a fórmula de sucesso que fez este atleta sexagenário voltar a brilhar no time.

Ao contrário do camisa 10 da nossa Canarinho – e de provavelmente boa parte das pessoas que passam por cirurgias que comprometem a locomoção – o Robinson resolveu não seguir as recomendações de abandonar o esporte que tanto ama.

O nosso jogador, assinante do SuperSaúde – programa conduzido brilhantemente pelo Dr. Uronal Zancan seguiu um tipo de exercício um pouco diferente da comum e amplamente indicada fisioterapia.

Robinson, que aos 60 anos exerce a função de engenheiro, resolveu seguir os 4 pilares da supersaúde defendidos pelo Dr. Uronal. E, por mais estranho que pareça, implantou em sua rotina uma modalidade de movimentação que não é muito bem aceita, apesar dos inúmeros estudos científicos que a respaldam.

O melhor: para se recuperar totalmente e voltar a estrelar a equipe de amigos de São Carlos (interior paulista), ele só precisou de 20 minutos de dedicação por dia.

Está gostando desse artigo?
Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos sobre saúde natural
Receba Já

*Não vamos distribuir seu e-mail

Para abandonar a bengala

Há cerca de 10 meses, o Robinson precisou passar por uma cirurgia no fêmur. Saiu do hospital com uma bengala e com as expectativas de voltar a praticar esportes tão distantes como o espaço geográfico entre Brasil e Rússia.

Ele queria voltar a fazer esportes. Mas vivenciou uma frustração que pode ser parecida com a sua. Fisioterapia, pilates e caminhadas dentro da piscina não foram suficientes para aliviar as dores.

Não conseguia jogar futebol. Tentou, em vão, voltar às quadras de tênis. “Jogando tênis, eu não conseguia correr atrás das bolas porque sentia dor”, me contou o nosso assinante.

Foi aí que em março, ou seja, há 2 meses, ele passou a adotar o programa de conquista de uma saúde 100 por cento indicado pelo Dr. Uronal Zancan.

Se esta é a primeira vez que você lê sobre o Dr. Uronal aqui, saiba que ele mesmo se livrou das sequelas de um AVC aos 66 anos porque segue esta mesma conduta, batizada por ele SuperSaúde.

Robinson resolveu ousar e fazer diferente. Colocou em prática o que indica o nosso médico de saúde.

Entre as dezenas de recomendações do Dr. Uronal, a perseguida pelo futebolista de São Carlos foi a prática de exercícios de alta intensidade, ou HIIT (high-intensity interval training).

São exercícios intervalados, aqueles que você busca o máximo da sua capacidade, intercalados com descanso ou com práticas de menor intensidade.

Para visualizar, pense em uma bicicleta ergométrica – é assim que o Robinson faz. Você pedala 30 segundos em uma velocidade máxima e alterna com dois minutos de uma velocidade menor, por exemplo.

Pedala, Robinson!

Um estudo publicado pelo Orthopaedic Journal of Sports Medicine em março do ano passado e que acompanhou 40 homens com artrose nos joelhos concluiu que os exercícios de alta intensidade na bicicleta têm mais resultados positivos no combate às dores do que os exercícios de intensidade moderada.

Os pacientes foram acompanhados por 8 semanas e os pesquisadores também perceberam melhora na marcha desses homens (em como eles andam), na velocidade dos passos e na composição corporal.

Coincidentemente, o aperfeiçoamento de movimentos dos pesquisados coincide com o mesmo período de exercícios praticados pelo Robinson Vidal.

Agora, o nosso jogador já pode correr para o abraço. Ele já corre atrás de todas as bolas nas partidas de tênis, sem qualquer dor.

Comemora a volta aos gramados.

“Pois é, já estou inclusive voltando para o futebol. Aposentei a bengala e vesti a chuteira”, riu, feliz, me contando sua história de superação das dores por telefone.

Você também pode

Vai me dizer que essa história, de uma figura só, não é melhor do que completar o álbum?

A propósito, veja a fotinho do assinante aqui:

Um dos principais ensinamentos que o Dr. Uronal partilha com os leitores da Jolivi– e que podemos nos inspirar a partir da história do Robinson, é que você não precisa de muito para investir na sua saúde.

Quem via o Robinson com uma bengala tinha certeza que ele tinha perdido saúde com os seus 60 anos, mas ele venceu.

O mesmo pode acontecer a você.

O Dr. Uronal sempre diz que não existe doença, existe perda de saúde.

E se você seguir o passo a passo que ele dissemina com os assinantes do programa é sempre possível recuperar o equilíbrio e vencer os sintomas, seja diabetes, hipertensão, gordura no fígado ou até câncer.

Quando você olha para a sua doença pode estar perdendo uma chance real de fortalecer a sua saúde. Este é o mantra do Dr. Uronal.

O próprio especialista da Jolivi tem 67 anos e hoje sua capacidade cardíaca é 58 por cento superior do que a que tinha aos 28 anos.

Isso, ele comprova com eletrocardiogramas de esforço.

Esta é inclusive uma orientação do Dr. Uronal Zancan.

Antes de dar início aos exercícios de alta intensidade, faça um eletrocardiograma de esforço para medir a capacidade do seu coração. O número de batimentos ideal para uma pessoa com saúde é de 220 menos a sua idade. Do Dr. Uronal, por exemplo, é de 220 – 67 = 153 bpm.

O fato é que a Jolivi tem mais uma estrela no nosso time de atacantes.

Se o Robinson foi escalado, Dr. Uronal garante, você também pode.

Receba nossas e-letters e seja como o Robinson
Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos sobre saúde natural
Receba Já

*Não vamos distribuir seu e-mail

Insira seu e-mail e receba nossos conteúdos gratuitos sobre saúde natural: