Buscar

Sexo depois dos 60: para os homens, impotência é a maior preocupação

Maior Menor
Mirela Leme

Mirela Leme

Coordenadora editorial

6 maio 2021

Coordenadora editorial

Colaboraram: Leopoldo Rosa e Mariane Zendron

Estimativas apontam que até 2025, 322 milhões de homens serão impotentes no mundo; no Brasil, eles têm mais medo da impotência do que do câncer de próstata

Nesta semana, fotos sensuais de casais acima dos 60 anos viralizaram pelo mundo. Os cliques são parte de uma campanha promovida no Reino Unido para que a sexualidade na terceira idade seja discutida. No Brasil, o programa Fantástico também abordou o tema. No sul do país, Moisés O., 78 anos, não se frustrou ao ver as imagens porque é a exceção de uma estatística que assusta os homens da sua idade, a da impotência sexual. 

É claro que é preciso que a sociedade trate sem tabu o assunto e que é necessário entender que, sim, avós e avôs também têm desejos e podem fazer sexo. Mas até quando esses desejos são realmente concretizados?

As  estatísticas mostram que, apesar de todo direito ao sexo na terceira idade exaltado e praticado, os homens não conseguem chegar à ereção. 

E é aqui que mora o problema com o qual o Moisés não perde noites de sono.

Dados da Sociedade Brasileira de Urologia de Urologia mostram que 1 a cada 2 homens sofre algum grau de disfunção erétil. A estimativa da Organização Mundial de Saúde (OMS) é que 15 milhões de homens brasileiros sofram de impotência e uma análise publicada recentemente pelo International Journal of Impotence Research afirma que até 2025, 322 milhões de homens serão impotentes no mundo.

Fora dos dados mais oficiais e científicos, o termômetro de buscas do Google aponta que o termo impotência, na média do último ano, foi 200% mais buscado no Brasil que o termo câncer de próstata e 117% mais buscado que o termo calvície.

O único mês, entre maio de 2020 até o momento, que o termo câncer de próstata ultrapassou impotência foi em novembro passado, média provavelmente impulsionada pela campanha de combate ao câncer, conhecida por  Novembro Azul

Na imagem abaixo, é possível verificar o gráfico vermelho mais alto no espaço referente a novembro de 2020.

Por que Moisés não tem medo de impotência

 

Com seus 78 anos recém completados, Moisés O., morador do sul do país, parou de se preocupar em falhar na cama — e portanto não está entre os homens que buscam o termo na internet — desde 2018.

Ex-funcionário da indústria farmacêutica e agora aposentado, a única resposta que ele conhecia para a impotência eram os medicamentos da classe do viagra, que, ele mesmo sabia, não estavam livres de efeitos colaterais.

Com histórico de doença cardíaca e impotência, ele encontrou na saúde natural as respostas que não recebia dos medicamentos que ele mesmo já vendeu na sua trajetória profissional, mas não esconde que, como recebia o tratamento convencional para o coração, o que o fez buscar novas alternativas foi mesmo a disfunção erétil.

Uma mudança completa que inclui o uso de suplementos promoveu em Moisés não só uma melhora no seu bem-estar integral e no resultado de seus exames, como também na sua performance sexual.

“Meu médico se surpreendeu com o fato de eu ter níveis de testosterona de um jovem de 18 anos. Hoje, tenho uma namorada, vou até a cidade dela para nos encontrarmos e está tudo perfeitamente bem”, conta.

Na lista de compras do aposentado não falta, segundo ele, chocolate 70% cacau, que ele come um pedaço rigorosamente todas as noites após o jantar.

Estudos científicos apontam que o chocolate amargo aumenta a produção de óxido nítrico, um gás fabricado pelo organismo que tem o potencial vasodilatador. Isso é, ele facilita a fluidez do sangue em todos os vasos, até mesmo o do pênis, o que facilita a ereção.

O óxido nítrico é o mesmo mecanismo acionado por fármacos como o viagra, só que esses remédios não estão livres de efeitos colaterais conhecidos e que causam preocupação e medo em homens com impotência. 

De acordo com o Dr. Carlos Schlischka, o que faz com que o chocolate 70% produza óxido nítrico são substâncias como o magnésio e polifenóis, que são encontradas em quantidades consideráveis no alimento.

Além da impotência superada, outro problema aproxima a história de Moisés dos homens maduros.

Antes de manifestar a disfunção sexual, ele já acompanhava a saúde cardiovascular com tratamentos mais tradicionais.

O que o Dr. Carlos Schlischka, à frente de produtos editoriais de saúde masculina na JOLIVI, afirma é que a impotência não pode ser tratada nos consultórios sem que a saúde cardíaca seja investigada.

“A verdade é que impotência e problemas cardíacos andam juntos. Da mesma forma que a impotência pode ser o primeiro sinal de um infarto que pode acontecer a qualquer momento ou no futuro, homens com hipertensão e aterosclerose têm riscos reais de serem ou se tornarem impotentes exatamente porque, reforço, o pênis é um órgão extremamente vascularizado e vasos entupidos provocam infarto e também disfunção erétil”, justifica.

O médico defende que essa investigação seja corriqueira em consultórios médicos, o que, para ele, pode evitar tanto as milhares de mortes por doenças cardíacas no país todos os dias, e ainda promover verdadeiramente a sexualidade em pessoas com mais de 60 anos.

O chocolate 70% usado pelo Moisés todas as noites, recomenda o Dr. Carlos, pode beneficiar quem passa por esses problemas.

Um estudo da Universidade da Indonésia testou o tratamento por 15 dias com 30 gramas de chocolate amargo. Os resultados apontaram que, além do aumento da produção do óxido nítrico — o gás vasodilatador que facilita a ereção — em mais de quatro vezes, o que possibilitou a queda da pressão arterial em pacientes hipertensos acompanhados.

Você é um homem de verdade?

Se você busca recuperar sua força física, ter mais energia e aumentar sua libido de forma natural, você está mais do que convidado a participar do meu grupo Homem Alpha. Nele, vou te dar o passo a passo para aumentar sua testosterona e devolver a virilidade da sua juventude em até 59 dias.

Garanta seu lugar aqui.


Referências:

 

 

  • Sociedade Brasileira de Urologia
  • Organização Mundial de Saúde
  • Hui J, He S, Liu R, Zeng Q, Zhang H, Wei A. Correction to: Trends in erectile dysfunction research from 2008 to 2018: a bibliometric analysis. Int J Impot Res. 2020 May;32(3):366. doi: 10.1038/s41443-019-0183-2. Erratum for: Int J Impot Res. 2019 Jun 24;: PMID: 31471592; PMCID: PMC7608281.
  • Sudarma V, Sukmaniah S, Siregar P. Effect of dark chocolate on nitric oxide serum levels and blood pressure in prehypertension subjects. Acta Med Indones. 2011 Oct;43(4):224-8. PMID: 22156352.

 

 

Mirela Leme

Mirela Leme

Coordenadora editorial

6 maio 2021

Coordenadora editorial

Conteúdos Relacionados