Buscar

ESTÁ EM QUARENTENA? A JOLIVI LIBEROU ACESSO GRATUITO À BIBLIOTECA DA SAÚDE NATURAL

* Não vamos distribuir seu e-mail

Os nutrientes essenciais para a saúde dos olhos

Maior Menor
Carlos Schlischka

Especialista: Carlos Schlischka

Médico Especialista em Saúde Integrativa

CRM: 14.558/SP

12 março 2020

Dr. Carlos Schlischka é formado pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro, tem mestrado pela USP-RP e quase 35 anos de prática clínica. Especialista em Medicina Regenerativa e Acupuntura, além de um grande estudioso nos campos da Nutrição e da Fitoterapia

Chega um certo momento que a nossa visão não é mais a mesma. A gente já não consegue ler o jornal, enxergar a nitidez do rosto dos netos ou dirigir com facilidade.

Quando anoitece e você não tem a mesma segurança para dirigir, acidentes graves podem acontecer a quem tem a visão reduzida, e aí a família encana e vive ameaçando de tirar o seu direito de dirigir.

Pode ser que você até tenha pensando em procurar ajuda, mas o que dizem por aí é que isso é coisa da idade, que o jeito é se conformar.

Eu preciso repetir aqui que, todos os dias, eu trabalho para que você receba uma sugestão que não recebe da medicina tradicional.

E, por isso, reservei este nosso encontro para falar sobre uma doença ocular que é tratada como normal ao envelhecimento – mas pode e deve ser prevenidas e até revertida com as instruções certas.

O que é degeneração macular?

Você passa a enxergar assim:

degeneração macular

Se você enxerga assim, saiba que a culpa não necessariamente é da idade

Em casos mais graves, a doença também avança para a cegueira completa.

O que é essa doença?

A retina tem um centro bastante delicado, que se chama mácula. Ela é composta por células que são sensíveis à luz e, quando agredida, impede que vejamos os objetos com clareza.

A degeneração macular é, então, uma condição que causa lesões progressivas na mácula. E conforme a doença avança, o indivíduo perde-se a visão central, passando a ver tudo com uma bola preta por conta da falência da mácula.

Hoje, essa doença afeta 1/3 dos adultos com mais de 75 anos e é a principal entre as deficiências visuais em homens e mulheres com 65 anos ou mais.

Uma de suas causas principais é o estresse oxidativo.

O que é estresse oxidativo?

O estresse oxidativo é o resultado do acúmulo de agressões que deixamos dentro do nosso corpo, seja por meio de uma alimentação desregrada e ainda de fatores como poluição e estresse.

É como se você nunca limpasse a sua casa e deixasse a sujeira tóxica se acumular.

No coração, essa sujeira pode causar infarto. No cérebro, derrame. Nos olhos, degeneração macular.

Entende por que você NÃO DEVE sentar e esperar essa doença se agravar?

É só você convocar os faxineiros certos, especializados em limpar a bagunça dos olhos. E não sou eu quem digo, é a ciência.

Os nutrientes essenciais para a saúde dos olhos: a luteína e a zeaxantina

Você já deve ter ouvido falar que “é bom para os olhos” investir em cenoura, abóbora e outros vegetais, especialmente os de cor escura, certo?

uma imagem de olho segurando cenoura

Você sabia? Cenoura é um dos alimentos ricos em luteína e zeaxantina

Pois então, todos esses alimentos são ricos em duas substâncias amigas dos seus olhos: a luteína e a zeaxantina.

Elas são de família dos carotenoides, são os únicos depositados apenas nos nossos olhos e promovem o aumento da densidade do pigmento ocular, sendo potentes contra o avanço da degeneração macular, por exemplo.

Quando são consumidos com o apoio dos antioxidantes (vitamina C e E são bons exemplos), fazem uma bela faxina em seus olhos, te ajudando mesmo a enxergar melhor.

Veja o que os estudos apontam!

Os benefícios da luteína e da zeaxantina

Uma pesquisa científica publicada no Jornal da Associação Americana de Optometria mostrou que, quando os pacientes tomaram 10 mg de luteína e 1 mg de zeaxantina por dia por um ano, eles apresentam melhoras na recuperação de ofuscamento, sensibilidade de contraste e acuidade visual.

Outro estudo, organizado pela City University, de Londres, indica que a suplementação de luteína e zeaxantina pode aumentar o pigmento macular em até 2,5 graus.

De acordo com um estudo conduzido por uma universidade de Boston, quando pessoas tomaram a luteína, mais zeaxantina, mais DHA, reduziu-se o risco de degeneração porque está protegendo a sua mácula dos danos oxidativos.

Sua memória 40 anos mais jovem

Preste muita atenção na imagem ao lado.

Ela esconde o segredo de como é possível ter um cérebro de 32 anos, mesmo aos 78.

Para que você comece a ter uma mente mais afiada e ágil, mais foco e clareza durante todo o seu dia e ainda uma memória que nunca falha.

Tudo de forma totalmente natural e usando poucos segundos por dia. Para saber mais, basta clicar aqui.

Óbvio, que se você já está com os primeiros sinais da doença, além de investir nas fontes naturais da dupla dinâmica, é importante conversar com o seu médico sobre a suplementação desses ingredientes.

Se você já está com a doença avançada, fale com o seu médico sobre a suplementação de 5 mg de luteína e 1 mg de zeaxantina, que podem estar na mesma cápsula. Se vierem acompanhadas de Vitamina E na fórmula, melhor ainda!

Caso esse seja um assunto que te interessa, compartilhe e comente aqui embaixo.

Referências bibliográficas:

  • American Optometric Association, Lutein and Zeaxanthin, Nutrition Action July 18, 2015
  • Ophthalmic Physiol Opt. 2006 Jul;26(4):362-71
Carlos Schlischka

Especialista: Carlos Schlischka

Médico Especialista em Saúde Integrativa

CRM: 14.558/SP

12 março 2020

Dr. Carlos Schlischka é formado pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro, tem mestrado pela USP-RP e quase 35 anos de prática clínica. Especialista em Medicina Regenerativa e Acupuntura, além de um grande estudioso nos campos da Nutrição e da Fitoterapia

[VÍDEO]
[VÍDEO]