A saúde bucal determina o destino do coração

Maior Menor

Quando meu primeiro dente de leite caiu, aos 7 anos, o fato tornou-se um evento na minha casa.

Era um domingo à noite, e, com uma câmera filmadora em mãos, meu pai registrou o momento em que eu contava, por telefone, a novidade para o meu vovô Zezé.

Meu avô e meu pai – que não dividem apenas semelhanças físicas e o primeiro nome de batismo – são formados em odontologia. Por este motivo, tanta festa sobre a leve alteração em meu sorriso.

Isso quer dizer que conversas sobre dentes, escovações, fio dental e afins são comuns e tornaram-se assunto intrínseco na minha família. Para você ter uma ideia, até hoje, 23 anos depois deste episódio, meu pai ainda me pergunta se eu escovei os dentes.

E o que me surpreendeu – e pode te deixar admirado também – é a existência de uma correlação entre a saúde bucal e o risco de doenças cardiovasculares.

De acordo com a American Medical Association, diversos estudos internacionais já foram realizados para investigar esta conexão. O ponto defendido pelas pesquisas é que a gengivite, uma inflamação nas gengivas causada pelo acúmulo de placa bacteriana (que também é chamada de biofilme) e sua variação mais agravada, a periodontite, implicam em um maior risco de infarto.

Explicando melhor, perigo de ser surpreendido por um problema cardiovascular aumenta em pessoas que falham mais na higiene bucal porque estas bactérias podem migrar para o coração. E quando esta migração ocorre pode surgir uma endocardite infecciosa, que atinge as válvulas cardíacas.

Aqui, fica evidente que o mal do infarto – algumas vezes – começa pela boca!

Também encontrei um dado que a higiene oral ruim amplia o risco de todas as doenças cardíacas. Não só o infarto.

Encontrei uma referência científica de 2010, da University College London. Ela afirma que o fato de deixar de escovar os dentes duas vezes por dia amplia em até 70% o perigo ao coração. O mecanismo concreto que estabelece essa relação entre boca e coração em desalinho ainda não é tão claro. Os estudiosos cogitam também que pode ser uma simples coincidência de hábito.

Isso porque, as doenças relacionadas ao nosso coração e aos problemas dentários compartilham dos mesmos fatores risco, entre eles a idade, o tabaco, o estresse, a obesidade e o diabetes, por exemplo.

Veja também: Tomate é um aliado para parar de fumar 

escovar dente saúde bucal

Sorriso natural e Saúde Bucal

De fato, caro leitor, cuidar da saúde bucal é fundamental. É quase mágico saber que o fio dental, por exemplo, pode prevenir o infarto.

Se, assim como eu, ficou com vontade de ir escovar os dentes imediatamente antes mesmo desta newsletter acabar, fique calmo e leia até o final.

Aprendi em pouco tempo aqui na Jolivi que a saúde natural sempre apresenta bons caminhos para o autocuidado e não seria diferente para o seu sorriso.

Os benefícios de alguns nutrientes e alimentos são incríveis.

Orgânicos

Antes de revelar quem são estes melhores amigos da nossa saúde bucal, é importante te trazer um panorama.

Segundo a Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro (SOCERJ), no Brasil, as doenças cardiovasculares matam mais 300 mil pessoas por ano. Sendo, também, a primeira causa de morte da nossa população. Ou seja, ao importar-se com os seus dentes, você não está apenas se atentando a uma esfera estética. Automaticamente, você está preservando e cuidando do seu maior patrimônio, que é a sua saúde como um todo.

E o mais bacana é que fica ainda mais evidente quando utilizamos alternativas naturais para manter a saúde bucal em dia. Uma das sugestões é usar a pasta de dente orgânica – que você já encontra em muitas casas de produtos naturais. Ela seria uma alternativa para diminuir a nossa exposição ao flúor. Isso porque, no Brasil, a água tratada recebe doses desta substância, num processo de fluoretação.

O uso de produtos também enriquecidos com flúor, ainda que objetivem diminuir as cáries, não é tão legal porque pode causar excessos em nosso organismo. Em consequências máximas, grandes quantidades provocam intoxicação e, no geral, o excesso também não é legal para a saúde dos dentes, em especial das crianças.

Bom, mas como evitar as cáries sem flúor?

Xilitol

Uma das substâncias presentes nos cremes orgânicos é o xilitol. É um ativo natural e usado também como adoçante. É produzido industrialmente a partir de fontes renováveis, como casca de árvores entre outros.

Esta substância mantém o pH da boca neutro. Assim, evita a desmineralização dos dentes e cumprindo a função de impedir o acúmulo de placas bacterianas. Sem corantes, a pasta de dente orgânica tem uma outra vantagem: ela não foi testada em animais.

Está gostando desse artigo?
Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos sobre saúde natural
Receba Já

*Não vamos distribuir seu e-mail

Alimentos incríveis

É importante ressaltar que a escovação e a escolha do creme dental são apenas uma das partes do processo de construir uma saúde bucal de qualidade.

Uma alimentação balanceada também pode contribuir para dentes mais saudáveis e um coração protegido de problemas.

Pensando nisso, listei alimentos que podem ser consumidos para manutenção de um belo sorriso e de um sistema cardiovascular fortalecido.

Vamos a eles:

Alimentos detergentes

São eles: kiwi, maçã, mamão, pera, melancia, cenoura, acelga, aipo, brócolis, pepino, couve-flor.

Por conta da mastigação destes alimentos, a gordura, a placa bacteriana e os resíduos são removidos. E desse jeito, previne a aparição das cáries, do mau-hálito e da gengivite. Além disso, estes ingredientes são ricos em fibras e não são calóricos.

camomila saúde bucal

Camomila

Certamente, sua avó já te ofereceu chá de camomila naquele momento em que você se queixou de dor de dente. Não deixe de ouvi-la. Esta bebida popular tem propriedades calmantes e anti-inflamatórias, além de ser antisséptica.

Semente de uva

Nos dentes, ela tem uma atividade adstringente, ou seja, de limpeza, purificante e ainda melhora a circulação sanguínea no local.

Um recente realizado pela Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (USP), em Ribeirão Preto (SP), afirma que o extrato da semente de uva, quando usado nas restaurações dentárias com resina, dá mais durabilidade ao tratamento.

Os pesquisadores afirmam que o composto natural é rico em antioxidantes, capazes de aumentar a resistência da dentina. Evitando, assim, sua deterioração.

Chá branco

Alguns estudos sugerem que os componentes do chá branco evitam a produção de ácidos nas cavidades dentárias. E mais: ele também tem propriedades adstringente, purificante e cicatrizante.

Gostou desse artigo?
Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos sobre saúde natural
Receba Já

*Não vamos distribuir seu e-mail

Insira seu e-mail e receba nossos conteúdos gratuitos sobre saúde natural: