Sua Saúde

A verdadeira vitamina de A a Z:

ela protege da Artrite reumatoide ao Zika vírus

assinatura_jolivifernanda

A lista é extensa.
De pré-eclâmpsia à asma.
De problemas pulmonares ao Alzheimer.

Estão na conta ainda:

– Câncer
– Diabetes
– Depressão
– Acidentes vasculares cerebrais (AVCs)
– Doenças autoimunes
– Doenças infecciosas
– Doenças cardiovasculares, além de muitas outras.

Já são coleções de estudos que mostram que a deficiência desta substância pode estar associada a um amplo espectro de doenças e de problemas de saúde.

Se isto coloca luz no peso da insuficiência, não há mais dúvida: a correção dos níveis inadequados desta vitamina também é um caminho cada vez mais efetivo para garantir a sua proteção e a reversão dos seus atuais problemas de saúde.

O nome deste ingrediente superpoderoso é vitamina D.

E neste encontro de hoje vamos discutir como o nosso corpo reage na presença – e na ausência – dela fazendo com que seja conhecida como:

A verdadeira vitamina de A a Z, uma vez que protege da Artrite Reumatoide ao Zika Vírus.

Como?

Eu sabia que esta seria a sua próxima pergunta.

Assim como você, logo que comecei a pesquisar e escrever na área da saúde, pairou uma certa desconfiança ao me deparar com uma única substância tão influente dentro do organismo. E tão unânime entre os cientistas.

Por isso, eu entendo, é normal ficar ressabiado.

Entretanto, quando ingressei no time da Jolivi – um canal editorial que tem a saúde natural como principal bandeira – pude ter acesso aos conhecimentos mais contundentes sobre a influência da chamada D3 no organismo.

Realmente, o mecanismo protetor é de impressionar.

Uma das hipóteses sobre sua versatilidade – que ainda permanece sobre intensa investigação com resultados cada vez mais animadores – é que esta característica seria resultante da forma como a vitamina D circula pelo corpo.

Em linhas gerais, as pesquisas mostram que – após ser metabolizada – a vitamina D cumpre seu trajeto por meio da corrente sanguínea.

Neste caminho, ela faz uma espécie de “baldeação” em vários órgãos, ajustando e organizando as funções do sistema imunológico e combatendo – de forma extremamente eficaz – as inflamações corpóreas.

Também por este mecanismo de ação, a vitamina D já é classificada como um hormônio esteroide e suas ações regulatórias do sistema imune têm sido confirmadas pelas mais variadas universidades, incluindo Harvard e a nossa Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Dr. Cícero Coimbra, médico brasileiro e criador de um dos protocolos de utilização de altas doses de vitamina D para doenças autoimunes, explica que o colecalciferol (o nome científico da vitamina D) é o percursor do hormônio 1,25(OH)2 colecalciferol.

É esta substância que potencializa a ação do sistema imunológico, inclusive contra infecções virais.

Na revisão de 59 estudos científicos publicada na Revista Brasileira de Reumatologia, por exemplo, os pesquisadores atestaram que a suplementação de vitamina D diminuiu os sintomas de artrite fazendo com que eles desaparecessem em 45% dos casos.

O mesmo efeito terapêutico foi encontrado para esclerose, lúpus, diabetes e outras doenças autoimunes.

O maior especialista

Eu já estava convencida sobre a importância da vitamina D quando conheci o Dr. Lair Ribeiro.

Dr. Lair é cardiologista, nutrólogo e um dos percursores da medicina funcional/natural no Brasil e no mundo.

Autor de 38 livros e 149 trabalhos científicos, este especialista diz que se pudesse dar um único conselho para a população em geral seria sobre a vitamina D.

Pedi então a ele que gravasse um vídeo explicativo mostrando a relação entre esta vitamina e o desencadeamento de doenças.

Veja abaixo as explicações contundentes deste pesquisador, que também atua como consultor da Jolivi.

De onde vem?

Ao mesmo tempo em que os ensaios científicos dão fôlego para a vitamina D, as pesquisas também alertam que o atual estilo de vida tem resultado em uma epidemia silenciosa de deficientes desta substância.

Em média, nove em cada dez pessoas têm insuficiência de vitamina D, ainda que não tenham manifestado nenhum sintoma mais grave provocado pela ausência do hormônio.

O que faz sermos quase todos deficientes é que a fonte natural e mais efetiva de vitamina D é a exposição ao sol, sem proteção, por 15 a 25 minutos, todos os dias.

Para se ter uma ideia, a unidade de medida da vitamina D é UI. Veja abaixo a tabela com as principais fontes deste nutriente.

Gema de ovo: 20 UI / gema
Leite: 100 UI / 200ml
Salmão selvagem: 600 UI / 100g
Cogumelos desidratados no Sol: 1600 UI / 100g
Exposição solar: De 10 a 20 mil UI, com cerca de 15 minutos de exposição, dependendo de uma série de fatores.
*UI= Unidades Internacionais

Os especialistas já são unânimes em dizer que, portanto, a via alimentar é insuficiente para nos fornecer a dosagem ideal de vitamina D, em quantidades suficientes para a proteção da saúde.

E qual é a solução?

Primeiro eu preciso que você se faça algumas perguntas:

– Por acaso, você já dosou sua vitamina D?
– Você costuma se expor ao Sol?
– Se não tem a oportunidade do contato com os raios solares, já conversou com o seu médico sobre a necessidade de suplementação?

São questões fundamentais para te levar a uma reflexão sobre a sua provável condição de deficiência e te oferecer um caminho efetivo para a melhora de sintomas e de prevenção de doenças graves..

Além disso, te oriento a acompanhar o nosso trabalho para ter acesso a outras recomendações de saúde natural que tem a proposta de inverter a lógica dominante de sempre olhar para a saúde pelo viés da doença e do remédio.

A partir de agora, você vai receber sempre em seu email um conteúdo exclusivo da Jolivi com esta proposta.

Por fim, preciso que você saiba que um golpe de marketing tem sido o responsável por te afastar ainda mais deste hormônio tão protetor chamado de vitamina D.

Dr. Lair Ribeiro faz todas as revelações sobre esta farsa neste documento exclusivo.

Sugiro mesmo que leia.

QUERO SABER A VERDADE