O seu protetor solar causa câncer de pele?

Maior Menor

Em nome do combate ao câncer, os famosos protetores solares são massivamente indicados e comercializados no mundo todo, sendo recomendado o seu uso diário, mesmo que a pessoa não coloque a cara no sol durante o dia.

Todos acreditam que o filtro solar é a melhor maneira de combater o câncer e o envelhecimento. Nos últimos anos, foram realizadas campanhas em massa e diversas peças publicitárias para nos convencerem a usar – sem moderação – os bloqueadores dos raios ultravioletas.

Veja só os efeitos deste marketing. Segundo dados da Associação Brasileira de Higiene Pessoa, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC), o Brasil responde por uma fatia de aproximadamente 20% do mercado mundial de protetores solares. Ou seja, de cada 10 protetores vendidos no mundo, dois deles chegam às mãos dos brasileiros.

Em 2015, o consumo global de protetores somou US$ 8,2 bilhões, dos quais US$ 1,6 bilhão veio somente do Brasil. Seria no mínimo desejável que, além do faturamento, este tipo de venda deste produto também tivesse impactado em uma redução dos casos de câncer de pele, certo?

Não é o que mostram os levantamentos, infelizmente. Os números mostram que os casos de câncer de pele não pararam de crescer no Brasil: são mais de 130 mil novos casos por ano, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca).

Um indício forte de que as vendas de protetor solar não têm impedido que as pessoas sejam acometidas pelas doenças que, justamente, deveriam ser evitadas por estes cosméticos.

E, sem sombra de dúvidas, seu protetor solar também pode estar causando câncer de pele. Continue lendo o artigo, vamos dar recomendações de como escolher os melhores filtros solares.

um senhor de óculos escuros na praia, passando protetor solar nas costas

Escolha bem o seu protetor solar e elimine o risco de desenvolver um câncer de pele.

Filtro solar impede a produção de Vitamina D3

O que as grandes indústrias não estão dizendo também é que cada gota de protetor solar esfregada na pele bloqueia a capacidade do seu corpo de produzir vitamina D3, uma das vitaminas mais importantes na sua luta contra envelhecimento e câncer de pele.

Os estudos clínicos da Mayo Clinic, de Harvard e do American Journal of Clinical Nutrition confirmam que a vitamina D3 ainda pode ajudar:

  • a aliviar o desconforto nas articulações;
  • melhorar ossos frágeis e quebradiços;
  • aumentar a densidade óssea;
  • combater resfriados e gripes;
  • melhorar a memória;
  • rejuvenescer a pele envelhecida;
  • reduzir pés de galinha, linhas finas, rugas e manchas senis;
  • melhorar a resposta imunológica;
  • aumentar a perda de peso;
  • melhorar a proteção cardíaca;
  • reduzir o risco de TODOS os cânceres em incríveis 67%, em especial melanoma maligno, câncer de mama e leucemia;
  • inibir a angiogênese, o crescimento de novos vasos sanguíneos que permitem a disseminação de células cancerígenas através do corpo;
  • aumentar a expectativa de vida;
  • reduzir risco de depressão e demência;
  • reduzir condições inflamatórias, como lúpus, artrite reumatoide e doença de Crohn.

Será que existe nutriente ou qualquer fator que tenha tais benefícios no combate do câncer consistentes como a vitamina D3?

A falta de Vitamina D

Hoje, a maioria das pessoas está deficiente da vitamina D3, a “vitamina do sol”. Segundo um estudo publicado no Archives of Internal Medicine, os americanos não compensam com sucesso a perda de vitamina D3.

Apesar do aumento expressivo da suplementação de vitamina D3, ainda há uma epidemia de deficiência desta substância. Entre cada sete americanos, há pelo menos uma pessoa deficiente. E cerca de 83% das pessoas que vivem na Arábia Saudita, uma das regiões mais ensolaradas do planeta, apresenta baixos níveis de D3.

“Estimamos que a deficiência de vitamina D3 é a condição médica mais comum no mundo”, afirma o Dr. Michael F. Holick, o maior especialista em vitamina D3 do planeta.

Veja também: Uma entrevista exclusiva da Jolivi com o Dr. Michael F. Holick

na praia, passando protetor solar

Leia atentamente o rótulo do protetor solar antes de comprar!

O seu protetor solar é cancerígeno?

 

O que é FPS? E o que ele indica?

Muitas pessoas consideram o FPS (fator de proteção solar, que aparece nas embalagens) a referência na decisão sobre qual protetor solar comprar, apesar de pouquíssimos saberem o que FPS significa. A maioria das pessoas acredita que SPF30 oferece o dobro de proteção do que o FPS15. Parece óbvio, não é mesmo? Mas isso é falso, a diferença real de proteção é muito pequena, cerca de 4%.

Na verdade, esses protetores conhecidos só são efetivos contra UVB, que é a principal causa de queimaduras solares, e são classificados de acordo com o nível de proteção solar ou FPS:

  • FPS15 – Bloqueia 93% da radiação UVB
  • FPS30 – Bloqueia 97% da radiação UVB
  • FPS50 – Bloqueia 98% da radiação UVB
  • FPS 100 – Bloqueia 99% da radiação UVB

Enquanto o FPS age absorvendo, refletindo ou disseminando os raios solares na sua pele, sua proteção não é linear e não fornece grande vantagem de proteção em níveis altos.

O que não é esclarecido é que o FPS só protege de radiação UVB, que é a que auxilia na produção da vitamina D3 no organismo. Os UVA, os mais perigosos que causam câncer de pele e envelhecimento, ficam sem proteção.

De acordo com o Dr. Steven Q. Wang, diretor do Dermatologic Surgery at Memorial Sloan – Kettering Cancer Center, em Basking Ridge, New Jersey, os indivíduos que aplicam FPS alto podem não se queimar, mas sem ingredientes de proteção UVA, podem estar recebendo grandes quantidades de radiação lesiva para a pele. Assim, os protetores solares com fatores FPS fazem mais mal que bem.

Está gostando desse artigo?
Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos sobre saúde natural
Receba Já

*Não vamos distribuir seu e-mail

Os protetores solares que causam câncer de pele

Ouvimos diariamente que devemos usar os filtros solares em adultos e crianças com o objetivo de prevenir rugas ou até câncer de pele. Mas, como você leu,  o uso desses produtos na verdade não protege e, em alguns casos, pode até aumentar o seu risco de tumores.

Veja dois exemplos bem comuns no nosso dia a dia:

  • Protetor contendo vitamina A e;
  • Protetor contendo oxybenzeno

 

Protetor contendo vitamina A

Protetor com vitamina A é um verdadeiro protetor solar que causa câncer de pele. Apesar de parecer benéfico para a pele pela presença de um antioxidante, o retinyl palmitato, uma forma de vitamina A, tem se mostrado indutor de lesões e câncer de pele, quando aplicado topicamente e exposto à luz solar.

Mesmo com FDA (Food and Drug Administration, órgão relativo à ANVISA, nos Estados Unidos) estudando a sua retirada do mercado, ele ainda está presente em diversos produtos, apesar dos estudos já serem bem conclusivos.

A recomendação é que se evite esse tipo de produto contendo vitamina A, retinyl palmitato, retinol, retinyl acetato, retinyl linoleato e ácido retinóico.

Protetor contendo oxybenzeno

O oxybenzeno é um ingrediente bem popular nos filtros solares. Porém, as pesquisas afirmam que essa substância pode causar alterações hormonais e até lesões celulares que podem resultar em câncer.

Essas alterações agem como se fossem estrógenos no seu corpo, alterando a produção de espermatozoides em animais e causando endometriose nas mulheres. Apresenta altas taxas de reação alérgica na pele. Por essa razão, esse tipo de produto também é um dos protetores solares que causam tumores.

quatro potes de protetor solar em fundo amarelo

Uma das dicas para escolher protetor solar ideal é evitar os produtos em spray!

Como escolher o protetor solar ideal

É possível evitar os produtos cancerígenos pelas alternativas mais seguras.

Confira as dicas de como escolher o protetor solar ideal:

Dica 1

Use um protetor solar que lhe proteja contra UVA e UVB.

É bom lembrar que o FPS protege apenas contra os raios UVB, que são os raios dentro do espectro ultravioleta que permitem que seu corpo produza vitamina D em sua pele.

Mas os raios mais perigosos, em termos de causar danos à pele e câncer, são os raios UVA.

Dica 2

Evite produtos que contenham oxybenzeno e vitamina A.

Dica 3

Não se deixe enganar por protetores com alto FPS. Eles dão a você a falsa sensação de que está altamente protegido e acaba o encorajando a ficar mais tempo exposto ao sol.

O correto é que você, mesmo utilizando esses protetores, fique exposto aos raios UV pelo mesmo período que ficaria se estivesse utilizando um produto com baixo FPS.

Dica 4

Evite também os protetores em spray. Eles liberam partículas tóxicas no ar, tornando fácil de serem inaladas e acabam também agredindo o meio ambiente.

Viu como não é difícil se livrar dos protetores solares que podem causa câncer? Se você gostou das recomendações do artigo, comente e compartilhe nas redes sociais.

Insira seu e-mail e receba nossos conteúdos gratuitos
sobre saúde natural: