Pré-Diabetes — 3 Principais Causas e Como Se Prevenir + 7 Alimentos que Ajudam

pré-diabetes
Maior Menor
Redação Jolivi

Redação Jolivi

8 fevereiro 2021

Redação Jolivi.

É só pensar nas pessoas que conhecemos para perceber que o número de casos de diabetes está crescendo, não é mesmo? 

Todos nós temos alguns amigos e familiares passando por isso e, se nada for feito, a situação vai piorar. 

Uma pesquisa divulgada pela  Federação Internacional de Diabetes (IDF, na sigla em inglês) 

mostrou que somente no Brasil, os casos de diabetes tiveram um aumento de 31% somente nos últimos dois anos. Atualmente, 11,4% dos adultos brasileiros sofrem com a glicemia alta.

E se muitas vezes o diabetes passa despercebido, o pré-diabetes é ainda mais sorrateiro, já que os sintomas, como ganho de peso e cansaço, podem ser confundidos com outros problemas. 

O que é pré-diabetes?

O pré-diabetes é uma situação clínica que precede o diabetes tipo 2. Apesar do nome, pré-diabetes pode ser considerado uma doença por si só, já que elevações de glicose, ainda que pequenas, já podem impactar o corpo a longo prazo.

Considera-se pré-diabetes quando o sangue apresenta níveis de glicose intermediários entre o normal e o que caracteriza diabetes. 

É um momento inicial do processo que, ao longo de anos, pode levar à diabetes tipo 2: as células do corpo vão se tornando resistentes à ação da insulina, hormônio produzido pelo pâncreas com função de quebrar moléculas de glicose e transformá-las em energia. 

Apesar de silenciosa e já ser considerada uma doença, essa condição também pode ser vista como uma janela de oportunidade, onde o dano ao corpo ainda é reversível.

Neste artigo você vai conhecer suas causas e maneiras de prevenção e até reversão. 

Você acaba de ganhar o Livro Diabetes Zero!

O segredo para você reverter a sua glicemia alta está no Livro Diabetes Zero que você acabou de ganhar de presente.

Clique aqui para garantir o seu exemplar físico

Quais as principais causas da pré-diabetes?

Mas como saber quais são as causas e no que ficar atento? Os fatores de risco que influenciam nesse tipo de análise são:

  1. alimentação rica em industrializados e carboidratos simples, como pães, pizzas, bolos e macarrão. 
  2. sedentarismo, que pode gerar ganho de peso repentino e obesidade;
  3. intoxicação por poluentes ou medicamentos 

Para verificar se uma pessoa é pré-diabética, é preciso fazer um exame chamado hemoglobina glicada. 

Se, em jejum, o nível de glicose no sangue variar entre 5,7 e 6,4%, quer dizer que ela tem chances de desenvolver a doença, caso não se cuide.

Como se prevenir para não ter diabetes?

Fique tranquila! O fato de ser diagnosticada com pré-diabetes não significa que não é possível reverter a situação. 

Pense da seguinte forma: ao sair de casa resfriado em um dia frio, você sabe que existe a possibilidade de ficar ainda mais doente se estiver usando roupas de “verão”. 

Então, para isso não acontecer, você se previne e usa casaco, touca e cachecol. Assim, diminuem as chances de piorar o quadro! 

O mesmo serve para quem está no grupo de risco para se tornar diabético. Ou seja, é preciso ter hábitos que ajudem a prevenir que a doença se desenvolva. 

Algumas das principais medidas de prevenção são:

  • prática de atividade física;
  • perda do excesso de peso;
  • alimentação regrada e cetogênica (vamos falar mais sobre ela a seguir).

Estas três ações são essenciais para evitar o acúmulo em excesso de glicose no sangue e, então, reverter o desenvolvimento da diabetes.

Alimentação cetogênica para aliviar o quadro de pré-diabetes

Quando se fala de alimentação e diabetes, a primeira coisa que você pensa é em cortar o açúcar, não é mesmo?

De fato, a primeira medida que deve ser levada em consideração é evitar a substância.

Mas se você pensa que basta apenas evitar sobremesas e refrigerantes, está enganado!

Isso porque o açúcar está presente em muitos outros alimentos que fazem parte do dia a dia. Portanto, para controlar a glicemia é importante adotar uma dieta cetogênica — ou seja, com baixo consumo de carboidratos e alta ingestão de gorduras e proteínas.

A redução dos glicídios — como massas, farinhas, pães, etc — é essencial pelo fato de que, em sua composição, há uma alta taxa de açúcares que contribuem para o aumento de glicose no sangue.

Inclusive, uma pesquisa publicada no Annals of Internal Medicine revelou que o baixíssimo consumo de carboidrato (menos de 20 gramas ao dia), durante duas semanas, reduziu em 16% os níveis de glicose no sangue e melhorou em 75% a sensibilidade à insulina.

Mas não fique triste por ter que cortar essas substâncias de sua alimentação! Existem alternativas para elas.

Veja só alguns alimentos que devem entrar em sua dieta e os que precisam sair para reduzir os efeitos da pré-diabetes, de acordo com o Protocolo Contra Diabetes da Jolivi!

1. Farinhas

A tradicional farinha branca de trigo pode ser trocada pelas de quinoa, amaranto, coco ou as derivadas de oleaginosas.

2. Leites

Tanto as versões integral, desnatado e semidesnatado possuem alto nível de açúcar em sua composição. Prefira os leites vegetais, como é o caso dos de amêndoas, amendoim e coco. 

Quanto ao creme de leite, a mesma regra vale. Então, um bom substituto vegetal é a biomassa de banana.

3. Óleos

Os tradicionais óleos de cozinha feitos de soja, girassol ou canola também são inimigos dos diabéticos. 

O óleo de coco ou mesmo a banha de porco são boas fontes de gordura para cozinhar os seus alimentos.

4. Frutas

Isso mesmo, frutas!

Apesar de, teoricamente, serem saudáveis, algumas frutas possuem em sua composição altos níveis de frutose — o seu açúcar natural. Então, o ideal é evitar aquelas muito doces, como goiaba, manga e banana. 

Por outro lado, você pode acrescentar em seu cardápio coco, limão e abacate.

5. Queijos

Sendo um derivado de leite, você já deve ter imaginado que haveria algumas restrições, certo? 

Queijos do tipo frescal, cottage e processados contêm um nível de glicemia alto. Portanto, prefira os de meia cura ou o de cabra. 

Ainda, considere fazer queijo vegetal com os leites já mencionados.

6. Barrinha de cereal

Se você está procurando uma boa opção de potencializar a sua energia com poucos açúcares, o ideal é substituir a barrinha de cereal por oleaginosas, como castanhas, amendoim e nozes.

7. Grãos

Apesar de ser uma ótima opção para aumentar o consumo de proteínas, o feijão tem elevado índice glicêmico. Para substituí-lo nas refeições, prefira o grão-de-bico.

Agora que já sabe como se prevenir da pré-diabetes, continue lendo o blog da Jolivi!

Você é diabético ou pré-diabético?

Já pensou em baixar a glicemia em 3 dias? Eliminar a dependência de remédios? Se sim, confira o sistema natural de 3 etapas capaz de prevenir, combater e reverter o Diabetes

Clique aqui para conhecer este sistema
Redação Jolivi

Redação Jolivi

8 fevereiro 2021

Redação Jolivi.

Conteúdos Relacionados