Quinoa: um superalimento sagrado dos Incas

Maior Menor

Quinoa: um superalimento sagrado dos Incas

A quinoa já teve um ano exclusivamente dedicado a ela, em uma homenagem da Organização das Nações Unidos (ONU). Motivo? Por conta de sua importância nutricional e econômica.

O intuito desta campanha era evidenciar o poder que este alimento tem. Principalmente para as populações que não têm acesso a fontes ricas em proteínas.

Outro ponto ressaltado foi o reconhecimento dos povos da região dos Andes, que foram uma espécie de “guardiões” da quinoa, conservando-a para o presente e para o futuro.

Um presente do passado para o futuro

Sabe, leitor, eu sou apaixonada por História.

Talvez, seja por este motivo que fico surpreendida (e feliz) quando percebo que a maioria dos chamados “superalimentos” tem sempre um pezinho no passado.

Parece-me que o atual consumo dessas iguarias é, na realidade, um resgate desta forma mais natural de se viver, baseada na riquíssima e sábia cultura das civilizações que habitaram o planeta há séculos.

No caso da quinoa, falo dos Incas, que habitaram territórios da nossa América do Sul – onde, atualmente, costumamos chamar de Equador, Peru, Bolívia e Chile – até serem extintos após a colonização espanhola. E os benefícios perduraram por todo este período, ainda que a industrialização tivesse provocado uma pane na tradição.

Mas hoje é dia de resgatar a quinoa, e vou te contar os motivos.

Está gostando desse artigo?
Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos sobre saúde natural
Receba Já

*Não vamos distribuir seu e-mail

Sagrado para os Incas

Olha só que curioso. O cultivo da quinoa era um ato sagrado para os Incas. Eles a utilizavam não só como um simples alimento, mas também para a cura de resfriados, parasitas intestinais e até picadas de inseto.

Os soldados do exército Inca se alimentavam continuamente com este alimento, pois assim conseguiam a energia necessária para conquistar os tantos territórios que foram dominados.

Além disso, ela tem uma outra particularidade. A NASA (National Aeronautics and Space Administration) a considera como o alimento perfeito para o consumo nas expedições espaciais. Ou seja, tem e já tivemos muitos astronautas vivendo de quinoa.

Fico pensando aqui comigo se as crianças incas que comiam a quinoa há muito, muito mais de 500 anos atrás, seriam capazes de imaginar que, um dia, o homem viajaria pelo espaço comendo o mesmo alimento que elas.

Os benefícios da quinoa

Diferentona

Os poderes e fama da quinoa – cujo nome científico é Chenopodium quinoa – vão além de sua importância histórica. Confie em mim, leitor: estes grãos não vão parar nas dietas saudáveis à toa.

Considerada um pseudocereal (pois sua composição química remete aos cereais, porém não é considerada um), ela foi reconhecida como um alimento completo devido à sua qualidade proteica.

Nutricionalmente falando, as proteínas contidas na quinoa são similares às encontradas nas carnes, ovos e leite. E por que será que ela é tão boa assim?

Olha só os principais componentes da quinoa:

Proteínas

A quinoa é classificada também como uma fonte completa de proteína, pois fornece todos os aminoácidos essenciais.

Os aminoácidos essenciais são aqueles que o nosso organismo não produz, e que temos que consumir por meio da alimentação.

Carboidratos

Grande parte deste macronutriente presente na quinoa é formado por amidos, fibras insolúveis e pequenas quantidades de açúcares. Muitos desses amidos são tipo resistentes, ou seja, escapam da digestão e acabam alimentando as bactérias amigas da flora intestinal.

Gorduras

Desta quantidade, 80% é composto por gorduras boas, como a poli-insaturada e a monoinsaturada.

Fibras

A quinoa cozida é uma boa fonte de fibras, batendo até os índices do arroz integral e do milho.

Vitaminas e minerais

Quem está em busca de antioxidantes, vai encontrar na quinoa uma boa aliada. Ela é rica em vitaminas do complexo B, manganês, fósforo, ferro, magnésio, zinco e cobre. O bacana, leitor, é que a quinoa não contém glúten. Ou seja, para quem sofre de intolerância à essa substância, este alimento é mais do que bem-vindo.

Quem também se beneficia bastante com o consumo de quinoa, principalmente pelo perfil proteico dela, são os vegetarianos.

Os benefícios da quinoa

Consumindo a quinoa

Pessoalmente, ainda não entendo por que os alimentos naturais, na maioria das vezes, são vendidos em estabelecimentos diferentes dos demais.

A quinoa, por mais que esteja ganhando a merecida popularidade, é mais um ingrediente que você pode encontrar nos mercados especializados em saúde natural.

Segundo a nutricionista Fernanda Furlan, a quinoa em flocos pode incrementar iogurtes e frutas. “Fica supergostoso”, afirma. Quando ela está em forma de grãos, antes de tudo, é preciso cozinha-la. Então, a nutricionista Fernanda indica que você use em tabules ou mesmo em substituição do arroz.

Para que o valor nutricional do alimento não seja perdido, é necessário fazer o cozimento da maneira correta. A quantidade de água e tempo carecem de atenção. Outra dica da nutri é ficar atento ao sabor, já que algumas quinoas ficam amargas. Para amenizar este efeito, ela sugere que você lave bem os grãos e os deixe-os secar para depois cozinhar.

Milagre?

Muitas dietas que propõem o emagrecimento têm a quinoa como ingrediente. De fato, por conta da sensação de saciedade que ela provoca e das proteínas e também pela acelerada que ela dá no metabolismo, o grão até pode ajudar no processo.

A nutricionista Fernanda, no entanto, enfatiza que perder peso comendo a quinoa será o resultado de um conjunto de fatores, entre eles a alimentação saudável. Portanto, amigo leitor, não caia no conto de dietas milagrosas que se baseiam no consumo desta herança inca.

Já para a diminuição das taxas de açúcar no sangue, o consumo da quinoa é bacana. E ela está sempre entre as dicas do nosso consultor, o médico Dr. Leonardo Aguiar.

Segundo uma pesquisa que li – realizada pelo Departamento de Química Alimentícia e Nutrição, da The Jagiellonian University, em Cracóvia, na Polônia –, a ingestão de quinoa diminuiu os níveis de colesterol, triglicérides e açúcar de ratinhos, ainda que os bichos tivessem uma dieta rica em frutose.

E a gente já aprendeu na Jolivi que o nosso organismo, pasme, tem muitas semelhanças com o dos ratos. Ou seja. Fazer bem para estes animais é o primeiro passo para cogitarmos que faz muito bem para nós também.

Alimento político

O cultivo da quinoa, de acordo com Claudia Mónika Haros, do Instituto de Agroquímica e Tecnologia dos Alimentos, do Consejo Superior de Investigaciones Científicas , de Valência, na Espanha, pode ser realizado em solos áridos e sem a necessidade de muita água. Ou seja, é uma produção mais simples e sustentável do que outros alimentos.

A especialista ainda comentou em uma entrevista para o blog da instituição que, para obtermos um quilo de carne, é preciso alimentar o animal com 4 quilos de cereais. “Esse desequilíbrio vai aumentar ao longo dos anos, devido às alterações climáticas, ao destino de cereais para a produção de biocombustíveis e ao aumento da população mundial, colocando a segurança alimentar em risco”.

E quem desponta como uma alternativa? Aposto que você já sabe a resposta.

Bom, experimente a quinoa, a alternativa ambientalmente correta, e conte-me como foi por meio do e-mail contato@jolivi.com.br.

Um recado breve…

Se você avalia que mais pessoas podem se beneficiar com estes conteúdos gratuitos, compartilhe.

E para ter mais informações saudáveis, siga a página do Facebook da Jolivi aqui.

Veja também: para entender como os nutrientes afetam seu corpo e recebe recomendações práticas para equilibrar o organismo, clique aqui e conheça o Remédio Natural.

Insira seu e-mail e receba nossos conteúdos gratuitos sobre saúde natural: