Não tome nem água durante as refeições

Maior Menor

Se você é do tipo que não consegue fazer uma refeição sem estar bebericando uma água, um suquinho ou uma latinha de refrigerante, preste bastante atenção no conteúdo que estou abordando hoje.

Por incrível que pareça, um inocente copo de água durante o almoço ou jantar pode estar atrapalhando a sua digestão e prejudicando a absorção dos nutrientes por você ingeridos.

Desde que conheci as orientações da nutricionista Drª Denise Carreiro, eu venho promovendo algumas mudanças nos meus hábitos alimentares.

Esta foi a que mais me surpreendeu.

Por isso, minha sugestão. Se não quer perder mais nenhuma recomendação da Drª Denise, coloque o seu e-mail aqui no campo abaixo e conheça Remédio Natural.

Quero mais recomendações da Drª Denise Carreiro
Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos sobre saúde natural
Receba Já

*Não vamos distribuir seu e-mail

É claro que mexer na forma que a gente se alimenta demanda tempo e força de vontade. Dando um passo de cada vez, sigo tentando me alimentar da melhor maneira possível, sem radicalismos e proibições.

Confesso: é difícil, mas, ao mesmo tempo é prazeroso, pois são escolhas que ninguém mais pode fazer por mim. E mais, nada tem sido tão difícil quanto recusar o delicioso suco de limão do restaurante que costumo almoçar.

Depois que eu fiquei sabendo que os líquidos durante a refeição podem estar minimizando os efeitos do meu esforço para comer de forma mais saudável e segura, as motivações não me faltam e, de fato, me movem.

As revelações

De acordo com a nossa especialista, não devemos ingerir líquidos durante a refeição e nem na primeira hora que se segue após a ela.

Parece uma orientação impossível de se seguir, mas acredite em mim, não é tanto assim. Só é preciso quebrar um hábito fortemente intrínseco na nossa rotina.

É claro que, se você estiver com muita sede, pode beber certa quantidade de água suficiente para saciá-la. Se não, segure-se!

Vai valer a pena.

A Drª Denise conta que a nossa digestão começa ainda pela boca. O contato do alimento com a língua e a mastigação não servem apenas para que possamos sentir os sabores.

Ao mastigarmos, estamos facilitando o transporte dos alimentos até o estômago. Essa trituração envolve a saliva, que, em sua composição, contém ptialina (uma enzima digestiva responsável pela primeira digestão dos amidos) e a mucina (uma secreção mucosa, que lubrifica e protege as superfícies do canal digestivo).

Além disso, o ato de mastigar estimula todo o restante a digestão.

água refeição

Veja só, depois de engolir o alimento, ele passa pela faringe, esôfago e, então, chega ao estômago (em geral, este órgão comporta cerca de 1,5 litros).

Por mais ou menos uma hora, tudo o que você comeu vai ficar armazenado ali, recebendo a visita de algumas substâncias. Uma delas é o ácido clorídrico. Ele ajuda na ação das enzimas digestivas responsáveis pela quebra de proteínas, preparo para absorção de vitaminas e minerais e ação bactericida.

O nosso organismo é muito esperto e sabe que o ácido clorídrico prejudica as paredes internas do nosso estômago. E, por isso, se preparara para uma produção em cadeia, composta por muitas etapas, fundamentais para a digestão.

Ocorre que se este processo é “empurrado” pelos líquidos, o processo é prejudicado. E, olha só, o que você perde:

O processo em cadeia

  • Para minimizar os efeitos do ácido clorídrico, as glândulas estomacais produzem substâncias de autoproteção, como por exemplo o muco.
  • As glândulas do estômago também produzem hormônios, a gastrina, uma substância essencial para a absorção da vitamina B12.

É válido ressaltar que a carência dessa vitamina pode causar anemias e problemas tanto no sistema nervoso central quanto no periférico. Mesmo em quem está fora do peso.

  • O produto final de toda essa atividade estomacal – que, como dissemos, dura aproximadamente uma hora – é o quimo, que será encaminhado ao intestino delgado.
  • Lá, nos quase 250m² de área, os nutrientes serão, de fato, absorvidos pela corrente sanguínea, que se encarrega de distribuir os nutrientes para as quase 100 trilhões de células que te compõem, sendo que 50 milhões delas são renovadas diariamente.

Por isso, é interessante evitar que a sua refeição seja regida pela presença do ácido clorídrico. E líquido e ácido clorídrico não combinam nada, nada, nada.

Mudar na próxima

Bom, aposto que, na próxima refeição, você já vai repensar o consumo de líquidos.

Depois de 1 hora, já está liberado, e você vai poder beber seu suco favorito, aquele café (sem açúcar ou com pouco) que as tardem pedem ou mesma a água, tão necessária para o nosso funcionamento.

Veja também: Poderosos nutrientes que combatem as doenças crônicas

Insira seu e-mail e receba nossos conteúdos gratuitos sobre saúde natural: