Quer receber conteúdo exclusivo e gratuito "os 6 Principais Nutrientes"?

* Não vamos distribuir seu e-mail

Como controlar a glicemia naturalmente

Como controlar a glicemia naturalmente
Maior Menor
Dr. Wilson Rondó

Especialista: Dr. Wilson Rondó

Médico Cirurgião Vascular e Nutrólogo

18 julho 2019

Dr. Wilson Rondó é médico formado em cirurgia vascular e especialista em nutrologia. Em seus 33 anos de profissão, já atendeu 20 mil pessoas. Percorreu diversos países pioneiros na visão integrativa do paciente, como França, Alemanha e Estados Unidos, em busca de respostas para o diabetes e a obesidade.

É crescente o número de casos de diabetes ou pré-diabetes, especialmente se pensarmos no também crescente número de pessoas com obesidade (condição que por si só pode levar à diabetes). Dessa maneira, é imperativo que se aprenda como controlar a glicemia, tanto em casa quanto com acompanhamento médico. 

Vale ressaltar que, mesmo sem sintomas, é importante se manter em dia com seus exames e consultas, já que o diabetes pode se manifestar de diversas maneiras e ser causados, muitas vezes, por coisas simples como hábitos alimentares. 

Muita gente ainda não entende muito bem o que é, como surge e como tratar diabetes ou pré-diabetes. No artigo abaixo, vamos falar a respeito de como controlar a glicemia e com quais alimentos naturais é possível fazer isso. Acompanhe!

O que é pré-diabetes?

O pré-diabetes é uma situação clínica que precede o diabetes tipo 2. Apenas do nome, pré-diabetes pode ser considerado uma doença por si só, já que elevações de glicose, ainda que pequenas, já podem impactar o corpo a longo prazo.

Considera-se pré-diabetes quando o sangue apresenta níveis de glicose intermediários entre o normal e o que caracteriza diabetes. É um momento inicial do processo que, ao longo de anos, pode levar à diabetes tipo 2: as células do corpo vão se tornando resistentes à ação da insulina, hormônio produzido pelo pâncreas com função de quebrar moléculas de glicose e transformá-las energia. 

Para a pessoa que já está em quadro de diabetes, a condição deve ser tratada a partir de consultas e prescrições médicas, além de mudanças no estilo de vida, e os sintomas da doença podem ser percebidos. O pré-diabetes, entretanto, pode passar despercebido por não se demonstrar necessariamente através de sintomas visíveis, daí a importância de se manter em dia com seus cuidados com a saúde. 

Essa condição pode ser vista como uma janela de oportunidade, onde o dano ao corpo ainda é reversível através de reeducação alimentar e exercícios físicos regulares. Além disso, essa condição é muito comumente tratada com um medicamento chamado Metformina. 

Esse medicamento pode trazer efeitos colaterais com o tempo e, por conta disso, você precisará saber como controlar a glicemia alta mesmo tomando remédio para isso.

Entre os efeitos colaterais dessa medicação, há a deficiência de vitamina B12, que é fundamental para geração de energia, e predispõe o diabetes.

Sim, você leu corretamente. O remédio usado para evitar diabetes causa a doença!

Um ingrediente anti-diabético no churros?

churros com cobertura de chocolate

Neste delicioso doce de massa crocante está escondido um ingrediente capaz de acelerar em até 20 VEZES a queima de açúcar no seu sangue.

Saiba aqui como sentir seus benefícios e riscar o Diabetes da sua vida.

Como controlar a glicemia: evite o Metformina!

A Metformina vem sendo utilizada clinicamente no mundo todo desde a década de 90. Além de diabetes, esse remédio também é prescrito em alguns outros casos que apresentam resistência à insulina, como ovário policístico ou puberdade precoce. Apesar de seu amplo uso, porém, a Metformina apresenta efeitos colaterais, como qualquer medicamento sintético. 

Dentre esses efeitos colaterais, um que pode ser especialmente preocupante é a redução dos níveis de TSH, um hormônio tireoestimulante. Ironicamente, baixos níveis de TSH podem estar associados a um maior risco de diabetes. 

Pesquisadores analisaram, ao longo de 25 anos, o comportamento do organismo de mais de 74 mil pessoas sob uso de Metformina. Os resultados foram surpreendentes: quando comparada à outro medicamento para diabetes, a Metformina foi associada a um aumento de 55% no risco de redução dos níveis de TSH. 

Em outra pesquisa, cientistas holandeses estudaram 8.452 pessoas sem incidência de diabetes. A partir disso, foi descoberto que pessoas com baixos níveis de TSH possuíam 20% a mais de risco de desenvolver diabetes do que indivíduos com níveis mais altos do hormônio. Para pessoas com pré-diabetes, no entanto, os riscos de progressão para diabetes são ainda mais assustadores, chegando a 40%.   

Resumindo, o medicamento prescrito pelo seu médico para pré-diabetes, a Metformina, pode ser exatamente o que está aumentando os seus riscos de progredir para diabetes.

Pílulas brancas num fundo azul, para quem quer saber como controlar a glicemia."

Metformina: cuidado com os efeitos colaterais desse medicamento!

Como controlar insulina e tratar diabetes: um passo a passo

Já deve estar claro que o uso de Metformina enquanto tratamento para diabetes ou pré-diabetes deve se dar por um curto período de tempo e outras estratégias, mas seguras e estáveis, devem ser adotadas.

Saiba mais, a seguir, sobre como controlar glicemia e como tratar diabetes com o mínimo de efeitos colaterais possível. 

Tenha uma dieta rica em gorduras

Uma alimentação balanceada é um dos principais pilares do combate à diabetes. Elementos como gorduras boas e proteínas em moderação são benéficos e podem ser encontrados em alimentos como carne vermelha ou derivados de animais de pasto, leite, óleos de coco ou oliva, oleaginosas como amêndoas e peixes de águas profundas. 

Também é recomendado o consumo de vegetais e legumes variados e reduzir (ou, idealmente, cortar totalmente) o consumo de açúcar, frutose, carboidratos refinados, grãos e óleos vegetais hidrogenados.

O suposto risco cardiovascular (já refutado) de comer carne ou seus pedacinhos gordurosos já foi refutado. Ainda assim, nos últimos 60 anos, houve uma tendência maior ao vegetarianismo e à redução no consumo de carne.

Os 5 Gatilhos para o Infarto e o AVC

Colesterol alto, consumo de carne vermelha… essas e outras mentiras estão colocando a saúde do seu coração em risco…

… enquanto há 5 gatilhos REAIS que secretamente te colocam na mira do infarto e do AVC.

Somente o #1 é responsável por 80 por cento dos casos de derrame e ataque cardíaco. Descubra os 5 gatilhos aqui.

Por incrível que pareça, Bacon não é vilão!

Nos últimos anos, algumas mudanças alimentares na sociedade acabaram por condenar o bacon como um grande vilão. Porém, ao deixar de se consumir esse delicioso alimento, alguns nutrientes valiosos tem se tornado deficientes nas pessoas, como por exemplo a colina, uma amina natural encontrada em lipídios, essencial para o funcionamento do sistema nervoso.

Uma das principais consequências da deficiência dessa amina é a ansiedade. Isso mesmo, o consumo de bacon pode ser uma maneira de remediar o aumento do distúrbio da ansiedade nos dias de hoje! Além disso, estatísticas indicam que pessoas que vivem além dos 110 anos (conhecidas como supercentenários) comem bacon regularmente, o que indica ainda mais o valor desse alimento.

Porém, o grande problema é o bacon frito. Este método de preparo tem dois grandes inconvenientes: o primeiro é que as partes do bacon que mais encostam na frigideira tendem a queimar, criando compostos potencialmente cancerígenos, chamados de aminas heterocíclicas. Já o segundo se trata do óleo utilizado para tal fritura, que geralmente é o óleo de soja comum nas cozinhas das famílias brasileiras, que acrescenta gorduras ruins ao seu prato.

Fica, então, a pergunta: qual é a solução? O bacon assado.

A receita do bacon funcional

Veja como preparar:

  • Use uma assadeira de aço inoxidável revestido com celofane de cozimento;
  • Em seguida, coloque o bacon cru proveniente de animais criados em pasto cortado grosseiramente em fileiras;
  • Cozinhe o bacon dentro de um forno pré-aquecido a 180°C por 20 minutos;
  • Depois de 20 minutos, use uma pinça para virar todos os pedaços. Asse-os por mais 15 minutos.

Sem pedaços queimados ou crus, assar o bacon garante que todo o alimento esteja uniformemente cozido e delicioso.

Não precisa drenar a gordura do bacon, pois ela mantém a carne mais saborosa e benéfica à saúde. Porém, se preferir, você pode secar os pedaços com toalhas de papel de armazená-los em um pote hermético

Agora você pode usar o bacon de múltiplas maneiras: cortado em pedacinhos com uma tesoura de cozinha, por cima de verduras cozidas no vapor ou de uma salada, cortado e acrescentado a ovos mexidos, ou até mesmo em pedaços para um lanche rápido, que manterá a sua energia e saciedade sob controle.

Além de um lanche delicioso, você terá uma refeição sem carboidratos ou, em outras palavras, cetogênica.

assadeira de metal colocada sob um pano cinza numa mesa de madeira, contendo tiras de bacon assado, refeição cetogênica para quem precisa aprender como controlar a glicemia e como tratar diabetes

Bacon assado é uma ótima opção para uma refeição cetogênica, especialmente para quem quer controlar a glicemia

Saiba como tratar diabetes com sulfato de vanádio

Sulfato de vanádio é um mineral que promove melhora da sensibilidade à insulina e hepática em indivíduos com diabetes tipo 2.

Isso porque ele imita a ação da insulina, levando a glicose do sangue para as células onde ela pode ser usada como energia.

Em um estudo, as pessoas com diabetes tomaram suplementos de vanádio diariamente. Após apenas três semanas, os níveis médios de açúcar no sangue diminuíram 10%.

A recomendação é tomar 500 mcg de sulfato de vanádio, três vezes ao dia. Apenas não exceda 10 mg em um dia e evite em gestantes e mulheres em lactação.

Como controlar glicemia consumindo goiaba

Goiabas em um fundo de madeira

Muita gente não sabe que o consumo de goiaba pode ser tão benéfico!

A goiaba é uma fruta poderosa no combate à elevação de açúcar no sangue e diabetes. Suas hastes e folhas, assim como a carne do fruto, impedem a digestão de hidratos de carbono. Em decorrência disso, seu corpo acaba precisando de menos insulina e diminuindo a concentração exagerada de açúcar no sangue. 

O consumo dessa fruta crua ou em forma de chá trazem também como benefício a diminuição do risco de desenvolver sensibilidade à insulina ao longo dos anos. 

Como estão os seus níveis de Vitamina D?

A deficiência em vitamina D está fortemente relacionada à resistência à insulina, pré-diabetes e diabetes tipo 2. Estudos dizem que essa condição pode ainda aumentar o risco de diabetes em 91%.

Para ter níveis ideais dessa substância, você pode tomar banho de sol, por exemplo. A exposição ao sol, especialmente no horário entre 10h e 14h, sem protetor solar, é recomendada.

Consuma também os alimentos ricos em vitamina D: sardinha, ovos de galinha caipira e carne de gado, fígado e laticínios de animais criados a pasto.

Em caso de diabetes, uma suplementação de 10.00 UI por dia pode ser recomendada.

Olha quantas alternativas naturais que podem prevenir, tratar e até reverter o diabetes! Compartilhe e comente aqui se você gostou do conteúdo, e continue lendo nossas postagens.

Dr. Wilson Rondó

Especialista: Dr. Wilson Rondó

Médico Cirurgião Vascular e Nutrólogo

18 julho 2019

Dr. Wilson Rondó é médico formado em cirurgia vascular e especialista em nutrologia. Em seus 33 anos de profissão, já atendeu 20 mil pessoas. Percorreu diversos países pioneiros na visão integrativa do paciente, como França, Alemanha e Estados Unidos, em busca de respostas para o diabetes e a obesidade.