Buscar

ESTÁ EM QUARENTENA? A JOLIVI LIBEROU ACESSO GRATUITO À BIBLIOTECA DA SAÚDE NATURAL

Meditação ajuda a fortalecer a imunidade, diz pesquisa

Maior Menor
Denise de Carvalho

Especialista: Denise de Carvalho

Médica e Especialista em Gastroenterologia

CRM: 14.558/SP

27 abril 2020

Médica e Especialista em Gastroenterologia formada na PUC de Campinas em 1998, com especialização em Gastroenterologia pelo hospital Clínic de Barcelona, Cirurgia e Endoscopia Digestiva pela USP. Atua com Medicina Baseada na Individualidade, com olhar sobre o paciente (mente e corpo) e não somente na doença. Também é idealizadora do COINEMA - 1º Congresso Internacional de Emagrecimento On-line.

Hoje, eu quero falar com você sobre algo bastante discutido na nossa sociedade em tempos de pandemia: a sua imunidade.

Porém, o que não está sendo debatido é a relação entre a potência e assertividade das suas defesas internas com a sua saúde mental.

Em um primeiro momento, pode ser difícil relacionar a saúde mental, o estresse e a imunidade, mas estou aqui para te explicar.

Estresse deprime a sua imunidade… e a culpa é o cortisol

Assim como todas as funções do seu organismo, o seu sistema imune trabalha 24 horas por dia, sete vezes por semana.

Para manter todo esse esquema funcionando, ele precisa de nutrientes, reações químicas, células específicas e outras substâncias resultantes de toda essa verdadeira e afinada orquestra.

Pois bem, quando o seu organismo se sente ameaçado — e, aqui, considere como ameaça tudo aquilo que seja um obstáculo ou um problema para você, seja físico ou emocional —, as glândulas suprarrenais, que estão localizadas em cima dos seus rins, produzem um hormônio chamado cortisol.

Quanto mais ameaçado você se sentir, mais cortisol será fabricado. E é exatamente essa substância quem coloca toda a sua defesa pessoal em alerta.

O cortisol é mais que uma sirene; é ele quem coloca todo mundo para correr, movendo a alavanca de acionamento.

Agora, pense na sua vida, no seu dia a dia: quantas vezes, em um período de 24 horas, determinadas situações tiram a sua paz de espírito?

Ou seja, quantas vezes por dia o seu organismo se esforça e gasta energia para produzir uma quantidade grande de cortisol, acionando seu sistema imune, quando, em realidade, nada está, de fato, te ameaçando?

Esse liga e desliga do mecanismo de defesa, um estímulo hormonal desnecessário, pode descalibrar a sua resposta imunológica quando a ameaça for real. Biologicamente, chamamos isso de carga alostática.

Ora, o que fazer, então, para evitar que meu sistema seja acionado sem necessidade e que a produção de cortisol permaneça em níveis normais para o meu organismo?

Em uma palavra: medite. Medite por, no mínimo, 20 minutos por dia.

uma mulher meditando na beira do mar

Quer diminuir o estresse e ainda aumentar a sua imunidade? Medite por, no mínimo, 20 minutos por dia

Meditação funciona? Como ela pode ajudar na minha saúde?

Se você pensa que a meditação foi criada especificamente para que o homem lide com a caótica vida moderna, está enganado. Sua origem é muito antiga e remete às várias práticas religiosas, principalmente orientais, que vão do hinduísmo ao cristianismo. Nesse momento da História, é provável que você remeta a prática à yoga, entretanto, ela vai além.

Em geral, as várias técnicas e propósitos de meditação têm o objetivo central de fazer com que o indivíduo foque sua mente em um pensamento ou atividade para que ele alcance clareza mental e emocional ou que transcenda o corpo físico, libertando a mente de apegos e trazendo paz interior.

Independentemente do tipo de meditação, o que é possível observar é que eles têm em comum, dentro do âmbito físico, é o foco na concentração, postura e respiração. Esse movimento que conecta esses três elementos é a receita ideal para o controle dos níveis de cortisol no seu organismo.

Eu li por aí que o melhor tipo de meditação é aquele que você pratica.

Portanto, se você deseja se aprofundar nessa temática — principalmente quando se envolvem questões e práticas mais religiosas —, minha recomendação é que você vá fundo. Mesmo. Os benefícios são muitos, e os praticantes possuem relatos inspiradores.

dr. uronal meditação

Foco na concentração, postura e respiração. O movimento que conecta esses três elementos é a receita ideal para controlar os níveis de cortisol

Estudos comprovam: meditação ajuda a fortalecer a imunidade

É cada vez mais frequente vermos a introdução do mindfulness no conjunto de terapias clínicas e hospitalares para depressão, ansiedade, doenças e dores crônicas. Seus efeitos nos pacientes encaixam-se em diferentes âmbitos, levando a melhoras e progressos significativos.

Basicamente, mindfulness é um estado de consciência atenta que exercita a vivência e aceita a experiência do presente. É um exercício que traz mente e respiração para o presente.

A ciência tem se dedicado para comprovar e esmiuçar os efeitos benéficos da meditação e do mindfulness nas pessoas. De acordo com uma revisão de 20 análises, feita por dois cientistas de diferentes universidades da Califórnia — a University of Southern California e University of California —, nos Estados Unidos, o primeiro estudo empírico sobre o tema é de 1966.

19 segundos por dia + 1 pílula = SuperImunidade

Já imaginou sair da quarentena com uma saúde mais forte e robusta do que quando entrou?

E ainda estar com uma Superimunidade que te protege de gripes, resfriados, dengue, pneumonia e muitas outras doenças?

Tudo isso é possível com a sua PÍLULA DA SUPERIMUNIDADE! (Clique aqui e saiba mais).

O estudo afirma que as proteínas inflamatórias são produzidas pelas células imunes e servem como comunicadores extracelulares durante a atividade do sistema imune. Quando estão na circulação sanguínea, essa proteínas propagam efeitos pró-inflamatórios ou anti-inflamatórios.

Essas proteínas, ainda segundo a revisão, são essenciais para a preservação do organismo e para a diferenciação das células imunes. Níveis elevados e desregulados das proteínas pró-inflamatórias aumentam os riscos de doenças e mortalidade.

Um dos estudos analisados — que foi realizado com mulheres com câncer de mama envolvidas em um programa de seis semanas de aplicação de técnicas mindfulness — demonstrou redução de uma citocina, a Interleucina-6, associada a respostas imunes, como a febre, após a prática. Essa diminuição dependia da frequência e da quantidade do exercício.

Que tal um chá de banana para diminuir o cortisol?

Para ajudar no relaxamento do seu organismo e no controle do cortisol, eu também recomendo chá de banana, duas horas antes de dormir.

Modo de fazer: ferva 100ml de água; na água quente, coloque uma banana inteira, com casca e tudo (não esqueça de higienizar), como uma infusão mesmo.

Para os meus assinantes do Corpo Saudável eu indico outras recomendações e chás terapêuticos que te ajudam a organizar o seu cérebro, emagrecer e ficar mais jovem de dentro para fora.

Referência bibliográfica

  • Mindfulness meditation and the immune system: a systematic review of randomized controlled trials David S. Black1 and George M. Slavich2 1Department of Preventive Medicine, Keck School of Medicine, University of Southern California, Los Angeles, California Cousins Center for Psychoneuroimmunology and Department of Psychiatry and Biobehavioral Sciences, University of California, Los Angeles, California.
Denise de Carvalho

Especialista: Denise de Carvalho

Médica e Especialista em Gastroenterologia

CRM: 14.558/SP

27 abril 2020

Médica e Especialista em Gastroenterologia formada na PUC de Campinas em 1998, com especialização em Gastroenterologia pelo hospital Clínic de Barcelona, Cirurgia e Endoscopia Digestiva pela USP. Atua com Medicina Baseada na Individualidade, com olhar sobre o paciente (mente e corpo) e não somente na doença. Também é idealizadora do COINEMA - 1º Congresso Internacional de Emagrecimento On-line.

Conteúdos Relacionados