Quer receber conteúdo exclusivo e gratuito "os 6 Principais Nutrientes"?

* Não vamos distribuir seu e-mail

A margarina é um veneno para a sua saúde

Maior Menor

Na sua geladeira há um pote de manteiga ou de margarina? Se a resposta for margarina, já antecipo a minha recomendação, sugiro que considere a possibilidade de trocar por manteiga. E para eu lhe contar por que faço esse pedido, preciso voltar alguns anos na história.

A origem da margarina

Em 1869, a França passava por uma crise econômica e estava carente de vários gêneros alimentícios. Foi aí que o então imperador, Napoleão III, sobrinho de Napoleão Bonaparte, lançou um desafio para quem criasse um substituto acessível para a cobiçada manteiga.

O alimento deveria não só atender os mais pobres do seu império como também o seu exército, sendo, portanto, um produto não perecível.

O invento não começou numa cozinha, mas no laboratório do químico Hipollyte Mergé-Mouriès, que criou uma mistura à base de sebo de boi, úbere de vaca (teta de vaca) e leite.

Hipollyte ganhou o concurso e a mistura artificial tinha um tom perolado, ganhando o nome de margarina. O nome vem do grego margaron e indica “brancura de pérola”.

A margarina é um veneno

Com os anos, muita coisa mudou na composição da margarina e não foi uma mudança para melhor. Ela passou a ser feita a partir da hidrogenação, um processo que usa o gás hidrogênio para converter o óleo vegetal líquido em gordura. Nessa modificação química, a sua estrutura é transfigurada e os nutrientes primitivos se perdem.

Em outras palavras, o óleo vegetal se transforma em gordura trans artificial, um antinutriente que o nosso corpo não reconhece como alimento e não metaboliza, se tornando cancerígena.

Mais recentemente, a fórmula da margarina foi modificada novamente e foram adicionadas gorduras interesterificadas (molécula totalmente estranha ao corpo e que deveria passar por uma avaliação assim como passam novos medicamentos).

um pote de margarina aberto

A margarina aumenta o risco de doenças cardiovasculares e de diabetes.

A margarina aumenta o risco de doenças cardiovasculares

Além disso, veja o que essas gorduras causam:

  • podem aumentar os níveis de glicose no sangue e;
  • não são metabolizadas adequadamente pelo corpo.

Mesmo tendo ganhado fama pelas mãos de um imperador francês e sido inspirada em uma pérola, a margarina é inflamatória e compromete em longo prazo a circulação do sangue, o coração e o cérebro, aumentando o risco de doenças cardiovasculares e diabetes tipo 2.

O gatilho #1 do infarto

Você pode pensar que está protegido com remédios para baixar o colesterol ou evitando gordura…

… enquanto pode continuar exposto ao #1 GATILHO LETAL que ameaça o seu coração silenciosamente.

Ele é responsável por 80% dos casos de infarto e AVC.

Dica: não é o seu colesterol nem a pressão alta (descubra qual é aqui).

Até as moscas não gostam da margarina

Para comprovar que a margarina é um verdadeiro veneno para o organismo, sugiro que faça o teste: deixe a margarina destampada por uns dias no seu porão ou garagem de casa e observe.

Além de não apodrecer, garanto que nenhum inseto, larva ou qualquer animal se aproximará dessa mistura artificial. Então por que nós, seres humanos, insistimos em ter esse produto alimentício na nossa geladeira?

Veja também: Manteiga, margarina ou azeite?

Manteiga é a opção mais saudável

Por isso, substitua agora a margarina pela manteiga, que é feita de gordura que não é trans e é muito mais saudável. Além disso, é rica em ácido butírico que contribui na prevenção do câncer colorretal.

Sabemos que muitas vezes substituímos alguns alimentos pensando na contenção de gastos, como fez Napoleão III. Mas eu lhe garanto, esses reais a mais que você pode vir a gastar na manteiga podem fazer uma imensa diferença na sua saúde agora e no futuro.

Lembre-se de que caro mesmo é um dia em um CTI hospitalar!

Se você gostou desse artigo, comente e compartilhe nas redes sociais.

Amor & sabedoria,

assinatura do dr. lair ribeiro