O que o mal súbito de Eriksen pode nos ensinar sobre esforço excessivo

Christian Eriksen com a camisa da Dinamarca. A camisa é branca, ele usa o número 10 e está em seu braço esquerdo a faiza de capitão na cor amarela florescente
Maior Menor
Marcello Sapio

Marcello Sapio

15 junho 2021

Redator

O jogador de futebol da Dinamarca desmaiou em campo no último sábado (12), teve uma parada cardíaca, após o mal súbito, e precisou ser reanimado pelos médicos ainda dentro do gramado

 

No último sábado (12), o mundo do futebol parou para ver a chocante cena envolvendo o jogador da Seleção Dinamarquesa, Christian Eriksen, durante o jogo contra a Seleção da Finlândia, na Eurocopa. A Dinamarca se preparava para cobrar um lateral, aos 40 minutos do primeiro tempo, quando repentinamente ele caiu em campo, já inconsciente.

Os seus compatriotas correram para socorrê-lo, junto à equipe médica, que percebeu que Eriksen estava sem respirar. Logo começaram o procedimento de massagem cardíaca e foi necessário até o uso do desfibrilador.

Depois de 15 minutos, o jogador, já acordado e consciente, foi levado para um hospital para fazer exames e ficar de observação. O quadro do atleta é considerável estável pelos médicos. (veja no vídeo abaixo)

ATENÇÃO! IMAGENS FORTES

Mas o que a história do jogador da Dinamarca tem a ver com você? Talvez essa história sirva para que você preste atenção aos seus limites e aos limites do seu corpo. Afinal, a pelada de domingo também pode te colocar em risco.

O que pode causar um mal súbito?

 

As causas são variadas e podem, ou não, ter sinais prévios. O especialista JOLIVI, Dr. Carlos Schlischka, comentou sobre a condição.

“Temos que entender que o mal súbito não é o causador de uma morte ou um desmaio, mas sim o efeito. Por exemplo, tal pessoa teve um mal súbito em decorrência do coração, outro do cérebro e por aí vai. Sempre tem algo por trás de uma situação como essa”, disse.

Casos de mal súbito podem estar associados a problemas de hipertensão. Clique aqui e conheça o remédio para a pressão perfeita 12/8 que custa apenas 42 centavos.

O esforço excessivo

 

Ainda não se sabe ao certo qual foi o fator responsável por acarretar no desmaio e na parada cardíaca do jogador. Apesar disso, o Dr. Carlos Schlischka cita algumas condições: 

“Ainda não revelaram muito o quadro, se ele tinha alguma predisposição genética, algum problema cardíaco, mas assemelha ter sido uma ‘pane’ do corpo por um esforço excessivo”.

O coração também é um músculo com fibras. Ele pode, como qualquer outro músculo, se lesionar em caso de esforço além do permitido.

Uma pergunta que você pode estar se fazendo agora é: “E como se sabe qual o limite do coração?”. Realmente é uma pergunta complexa e varia muito de caso para caso, mas quem melhor pode falar é você mesmo. Ao fazer um exercício físico, você pode sentir até onde suporta o esforço, sempre respeitando os seus limites.

Os especialistas da JOLIVI recomendam sempre a procura de um cardiologista para conferir as suas condições antes de começar qualquer atividade física.

Essa avaliação pode ser feita através de exames de frequência cardíaca, eletrocardiogramas, entre outros. Caso você não seja aprovado para atividades mais densas, uma recomendação é uma caminhada leve, de 5 a 10 minutos por dia, para melhorar o condicionamento físico e fortalecer a musculatura cardíaca.

Quanto ao Eriksen, o jogador ainda está internado no hospital em Copenhague, capital dinamarquesa. Ele está acordado, consciente e não corre risco de morte apesar de ser improvável que ele volte a jogar futebol em alto nível novamente.

Apesar da incerteza em relação ao seu futuro, ele publicou uma foto nesta terça-feira (15) em sua conta no Instagram. Na legenda, ele tranquilizou os fãs falando que “está tudo bem na medida do possível”.

Marcello Sapio

Marcello Sapio

15 junho 2021

Redator

Conteúdos Relacionados