Buscar

Estudos comprovam a eficácia de Vitamina D no Coronavírus

Maior Menor
Carlos Schlischka

Especialista: Carlos Schlischka

Médico Especialista em Saúde Integrativa

CRM: 14.558/SP

8 setembro 2020

Dr. Carlos Schlischka é formado pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro, tem mestrado pela USP-RP e quase 35 anos de prática clínica. Especialista em Medicina Regenerativa e Acupuntura, além de um grande estudioso nos campos da Nutrição e da Fitoterapia

Eu prometi, desde o início do ano, que apresentaria a você todas as evidências científicas que atestassem efeitos promissores no tratamento da Covid-19.

Do mesmo modo que recomendei, desde antes de os primeiros casos serem registrados no brasil, que você aumentasse o seu aporte de vitamina D3, seja tomando sol enquanto ainda era verão, seja por meio de suplementação.

Agora, mais de seis meses depois do primeiro caso e 128 mil mortes depois, volto aqui para reforçar — cientificamente — a importância da D3 contra essa doença ainda desconhecida e tão devastadora.

E com o melhor do embasamento científico para comprovar mais uma vez a sua urgente necessidade.

 

Conteúdos relacionados:

 

Veja só: o uso de vitamina D3 nos hospitais foi responsável por 100% da recuperação de pacientes com Covid-19.

Foi o que comprovou um estudo espanhol – muito bem realizado – com altas doses de calcifediol (um dos nomes dados a esse hormônio que ficou popularmente conhecido como vitamina).

Vamos ao que diz o estudo feito pela Universidade de Córdoba, na Espanha.

A Vitamina D é melhor que a hidroxicloroquina, diz estudo espanhol

Todos os 76 pacientes internados com a manifestação mais grave da Covid-19 e quadros de infecção respiratória aguda foram tratados com um combo tradicional de medicações, entre elas hidroxicloroquina e azitromicina.

Dentre os pacientes, 50 deles receberam, além do tratamento convencional, altas doses de vitamina D3. O restante não recebeu o aporte nutricional (26 pessoas).

O estudo foi o chamado duplo-cego, daqueles que os participantes não sabem quem está recebendo a vitamina a ser pesquisada — tudo para não ter qualquer tipo de influência nos resultados.

Uma bactéria que come gordura abdominal?!

Cientistas americanos comprovam: há algo diferente no corpo dos magros que está em FALTA no corpo dos obesos (e que pode te ajudar a eliminar os quilos extras).

Falo das bactérias EMAGRECEDORAS, que podem devorar a gordura abdominal. Clique aqui para saber mais.

Dos 50 pacientes que receberam a vitamina D3 (no início do tratamento 0.532mg, e depois 0.266mg), apenas um deles (o que dá 2%) precisou ser internado na UTI, mas teve alta após o fim do tratamento.

Dos 26 pacientes que receberam hidroxicloroquina e azitromicina, mas não tiveram o tratamento com vitamina D3, 13 deles precisaram ser internados na UTI (o que dá 50% dos pacientes).

Os resultados do estudo, apesar de feito com uma pequena parcela de pacientes, é promissor e mostra que a eficácia em se incluir a vitamina D3 no tratamento é 25 vezes melhor do que apenas em se incluir o medicamento.

Essa, portanto, é mais uma evidência científica que vem corroborar com o que eu já lhe dizia desde o início do ano: que a vitamina D3 pode ser uma das armas mais poderosas contra a Covid-19.

E dá mais luz a outros estudos, como da Universidade de Chicago e da Universidade de Turim, que atestaram a importância de bons níveis de vitamina D3 para evitar os quadros mais graves da doença.

O que é Vitamina D? Quais são os seus benefícios?

Mas você chegou na conversa agora e está completamente perdido e precisa de respostas sobre o que é, afinal, essa vitamina D3.

O maior especialista em vitamina D3 do Brasil, o Dr. Cícero Coimbra, sempre diz que por um erro histórico, passou-se a nomear como vitamina um hormônio que tem muito mais ação no nosso organismo do que uma vitamina.

Criador do Protocolo Coimbra, hoje o neurologista e professor da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) é conhecido mundialmente por utilizar altas doses de vitamina D3 para o tratamento de doenças autoimunes e ditas intratáveis, como esclerose múltipla, por exemplo.

De coronavírus a esclerose múltipla, a vitamina D3 é tão amplamente estudada e utilizada pelo Dr. Cícero Coimbra (que também tem defendido seu aporte para barrar pandemias) porque entre suas ações está, por exemplo, a sua influência sobre os glóbulos brancos, importantes para a nossa imunidade e que evitam a tempestade de citocinas inflamatórias.

Se você está lendo essa minha coluna e foi diagnosticado com Covid-19, é primordial que você seja atendido por um médico que tenha experiência no uso, tanto das medicações, quanto de altas doses de vitamina D3.

Mas, se você está no grupo de pessoas que precisa aumentar a sua defesa, eu sugiro que você ou se exponha ao sol por 15 minutos diários, com 80% do corpo descoberto, entre as 10 e 15h, ou suplemente com doses de 10.000 UI de vitamina D3 combinado com 100mcg de vitamina K2.

Só a exposição ao sol de três a quatro vezes por semana garantiria 20.000 UI dia de vitamina D3.

Fique comigo, e acredite na ciência. Eu estudo as evidências para que você seja a sua melhor versão todos os dias.

19 segundos por dia + 1 pílula = SuperImunidade

Já imaginou sair da quarentena com uma saúde mais forte e robusta do que quando entrou?

E ainda estar com uma Superimunidade que te protege de gripes, resfriados, dengue, pneumonia e muitas outras doenças?

Tudo isso é possível com a sua PÍLULA DA SUPERIMUNIDADE! (Clique aqui e saiba mais).

Carlos Schlischka

Especialista: Carlos Schlischka

Médico Especialista em Saúde Integrativa

CRM: 14.558/SP

8 setembro 2020

Dr. Carlos Schlischka é formado pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro, tem mestrado pela USP-RP e quase 35 anos de prática clínica. Especialista em Medicina Regenerativa e Acupuntura, além de um grande estudioso nos campos da Nutrição e da Fitoterapia

Conteúdos Relacionados