45+: Aprenda a destruir as principais dores

Olá, caro leitor, tudo bem?

Você provavelmente reconhece essas frases:

“Quem não sente dor, está morto”

“No Pain, no gain”

É preciso doer, para valer”.

São tantos absurdos impostos ao nosso organismo que, talvez, você que está lendo agora esteja mesmo convencido de que sentir dor é normal.

Especialmente para quem já passou dos 45 anos, essa imposição de “normalidade dolorida” é ainda mais frequente.

Mas me diz: como essas sensações abaixo podem ser aceitáveis?

  • O copo arde tanto que lateja;
  • Suar frio ao menor esforço;
  • Ter tonturas;
  • Ficar imobilizado
  • Cancelar compromissos por conta da coluna travada;
  • Parar de fazer planos por causa das dores.

O fato de ser comum, não significa que é normal.

Por isso, hoje quero te oferecer um “mapa” para que você possa reconhecer as dores mais comuns nesta idade. Juntos, vamos em busca de uma solução, efetiva, para que o seu cérebro desaprenda a sentir dor e ela deixe de ser normal.

A partir disso, você terá um organismo fortalecido, regenerado e livre das dores.

Dor comum não é coisa da idade não!

A dor quando surge, acredite, não é por culpa da idade não.

Ela ocorre porque durante longos anos você aprendeu a se movimentar e a usar seu corpo do jeito errado.

O fato de você ainda não ter se deparado com a solução não significa, no entanto, que ela não exista!

Saiba: para todas elas há uma forma natural e efetiva de elimina-las.
Você só precisa conhecer os movimentos certos, os estímulos corretos e a sequência adequada para conseguir superá-las.

Então, primeiro eu vou te contar quais são as cinco dores mais recorrentes. E depois eu vou te oferecer um pequeno exercício para que você comece hoje mesmo a superá-las, combinado?

#1 Lombociatalgia

A lombociatalgia é uma enfermidade que pode até ser confundida com artrose discal e hérnia de disco. Ela consiste em um estreitamento do canal vertebral na região lombar, caracterizado por irradiação da dor para a face posterior da coxa e nádegas, podendo chegar até o seu pé.

# 2 Osteoartrose

Conhecida também como osteoartrite ou artrose, a osteoartrose é um processo de deterioração progressiva e lenta da sua cartilagem articular – aquela que recobre as extremidades ósseas e amortece os impactos no quadril, ombros e joelhos.

A osteoartrose atinge principalmente pessoas acima de 55 anos, sendo as mulheres afetadas mais cedo devido às alterações hormonais associadas à menopausa.

# 3 Distúrbios de coluna

Esse é um dos terríveis distúrbios que você pode estar sofrendo neste momento.

Isso acontece principalmente quando você apresenta alterações fisiológicas como, por exemplo, a redução de massa óssea, que normalmente leva à osteoporose.

# 4 Artrite

Trata-se de uma inflamação de suas articulações que causa dor e rigidez. Relacionada a processos inflamatórios e que tem impacto em outras áreas do organismo.

# 5 Doença Vascular Periférica

Por fim, quem já passou dos 45 anos e apresenta dores nas pernas pode estar com doença vascular periférica.

Isso ocorre porque com acumulo de anos repetindo posições erradas e movimentos tóxicos, seus vasos sanguíneos também vão se modificando por degeneração derivada ou natural de fatores externos.

Dessa forma, as paredes de suas artérias engrossam, acumulam calcificações e se tornam mais rígidas alterando o fluxo sanguíneo; é justamente este processo que causa tanta dor, especialmente nas pernas.

 

Como já disse, existe um caminho natural e você pode desligar a dor no seu cérebro

Eu sou fisioterapeuta e já fiz mais de 30 especializações. Encontrei uma maneira efetiva de proporcionar um alívio imediato e também duradouro para quem sofre com dores.

Vou te ensinar a fazer as movimentações com o foco em uma respiração leve, fazendo com que o cérebro seja oxigenado e diminua a oferta de estímulos doloridos.

Você pode, precisa e merece sentar e se levantar de um sofá normalmente sem qualquer tipo de dor.

Viver não pode ser um martírio.

É este caminho que me proponho a trilhar ao seu lado.

Fique agora com um trecho de um vídeo meu. Escolhi porque nele, vou te ensinar a respirar para aliviar a dor.

Experimenta e depois me conta.