Buscar

É normal soltar muito pum? Dra. Denise de Carvalho explica

Maior Menor
Denise de Carvalho

Especialista: Denise de Carvalho

Médica e Especialista em Gastroenterologia

CRM: 14.558/SP

17 novembro 2020

Médica e Especialista em Gastroenterologia formada na PUC de Campinas em 1998, com especialização em Gastroenterologia pelo hospital Clínic de Barcelona, Cirurgia e Endoscopia Digestiva pela USP. Atua com Medicina Baseada na Individualidade, com olhar sobre o paciente (mente e corpo) e não somente na doença. Também é idealizadora do COINEMA - 1º Congresso Internacional de Emagrecimento On-line.

Hoje, minha conversa é só com quem solta pum. Se, por acaso, você pertence ao grupo de pessoas que não libera gases, pode deixar este conteúdo para lá.

Mas, contudo, entretanto e todavia, eu tenho certeza de que você faz parte do time que, entre 10 a 20 vezes por dia, dispensa flatos.

Eu, sem vergonha alguma, assumo que solto pum sim. Eu, o Roberto Carlos, a Gisele Bündechen, a rainha Elizabeth II e o Brad Pitt.

Ter gases é natural do seu organismo porque a sua microbiota intestinal – ou seja, todos os micro-organismos que vivem dentro deste órgão – se alimentam do que você fornece para ela: os ingredientes da sua refeição.

 

Conteúdos recomendados:

 

O seu pum é, então, resultante do processo de digestão que sempre acaba por produzir fases, que podem ser carbônio, hidrogênio ou metano.

Portanto, meu leitor e minha leitora, a vontade de liberar os gases não deve ser motivo de vergonha ou inibição.

É claro que eu não estou aqui dizendo que está autorizado soltar pum em público.

A minha questão é que, dentro da sua intimidade, daquelas conversas que você faz com si mesmo para saber se tudo está no controle, você precisa estar a par das condições meteorológicas do seu intestino.

Em outros termos: você precisa analisar os seus gases.

Para apagar seu refluxo de uma vez

Quer decretar o FIM DO REFLUXO na sua vida? Neste vídeo, a Dra. Denise de Carvalho revela uma nova forma natural para apagar a queimação de uma vez por todas.

Clique aqui para assistir

Quando o pum é um problema?

Quero que você se atente a três problemas relacionados aos seus gases:

  1. Excesso deles, que, em geral, traz também inchaço abdominal, frequentemente, à noite;
  2. Mau cheiro acentuado, pois o pum não precisa ser cheiroso, mas também não há necessidade de ser pútrido;
  3. Diarreia, dores abdominais em cólica, urgência para evacuar e movimentações barulhentas.

Esses eventos, que podem acontecer todos juntos e também de forma independente, merecem a sua atenção.

Assim como os sintomas de uma doença, o seu pum também quer te passar uma mensagem.

Basicamente, quando você apresenta esses sinais, é porque o seu intestino está fermentando demais os alimentos na digestão.

Isso pode acontecer por excesso de carboidratos na sua dieta ou mesmo alguma intolerância alimentar, relacionada ou não com os FODMAPs. Alguns alimentos possuem tipos específicos de carboidratos que funcionam como gatilhos para esses desconfortos.

Se, ao analisar a sua rotina, você perceber que é algum ingrediente que funciona como um estopim para as crises de gases, eu sugiro que você faça um teste e tente não consumir por alguns dias.

Depois, vá reintroduzindo o alimento em questão em pequenas quantidades. Dessa forma, você vai conseguir identificar qual a quantidade ideal para você.

Eu preparei essa tabela com os alimentos que contêm altos e baixos teores de FODMAPs. Eles podem ser a causa de transformar o natural dos puns em “problemas”. Veja só:

Rico em FODMAPs Troque por…
Trigo Arroz integral, quinoa, tapioca
Alho Cebolinha, gengibre, açafrão, pimenta
Maçã, figo, manga, pêssego, melancia, cerejas Bananas, kiwi, laranja, mamão, abacaxi, morango
Aspargo, couve-flor, cogumelos Cenoura, berinjela, couve, espinafre, abobrinha

Talvez, a diminuição da quantidade diária desses itens possa aliviar o seu intestino, amenizando o mau cheiro e as possível dores.

Estão escondendo ESTES remédios...

Atenção: ESTES remédios naturais são mais seguros, econômicos e eficazes que drogas para combater doenças como Pressão Alta... Diabetes... Depressão... Artrose...

Para conferir todos os remédios naturais, clique aqui

Os gases não precisam ter cheiro de carniça

Se, ao prestar atenção no odor dos seus flatos – ou no de alguém que convive com você – e esse cheiro indicar que a pessoa em questão pode estar podre por dentro, saiba que esse problema ultrapassa o limite do desagradável.

As 2 principais causas para isso são:

  • Mistura do gás produzido com sulfureto de hidrogênio.

Esse produto da fermentação da microbiota ocorre quando comemos alimentos ricos em enxofre, como cebola, alho, repolho, ovos e feijão.

A questão é que apenas retirar esses alimentos da dieta te arranjaria outros problemas.

O enxofre é importante para uma série de reações hepáticas e, quando seus gases estão muito fedidos, indica que ele está sendo consumido pela microbiota. Dessa forma, pode faltar para você e para as suas células.

  • Fermentação excessiva de proteínas por bactérias chamadas proteobacterias.

Esse processo produz duas substâncias chamadas cadaverina e putrescina, que são conhecidas pelo odor ruim.

É um sinal de que você ou exagerou na quantidade de proteínas ou não tem ácido suficiente no estômago para a digestão delas.

Uma mulher segurando o nariz

O odor dos seus flatos pode ser um sinal do seu organismo!

Quanto mais velho, mais puns você vai soltar

Sinto dizer que pode parecer lenda urbana, mas quanto mais velho você fica, mais chances de você soltar mais que 20 puns diários.

E por que isso acontece, Drª Denise?

Com o decorrer do tempo, o seu organismo passa a produzir menos enzimas digestivas.

Essas substâncias são responsáveis por quebrar as moléculas de cada item que você consome, construindo assim o processo digestivo.

Então, quando elas estão em falta, os alimentos chegam ao intestino ainda mal digeridos, aumentando as chances de excesso de fermentação e de produção de gases.

Portanto, não fique pensando que, do nada, o seu avô ou o seu pai perdeu a vergonha depois de velho e passou a soltar mais puns em público. Ele só tem menos enzimas digestivas que você.

O que fazer, então?

Caso o odor ou a quantidade de gases que você está sentindo esteja te incomodando ou te sinalizando algo errado, você pode conversar com o profissional de saúde que te acompanha.

Em alguns casos mais sérios, é possível manipular essas enzimas em farmácias especializadas por meio de receitas médicas.

Outras opções, que gosto muito e que, inclusive, uso na minha rotina, é o consumo de 3 frutas ANTES das refeições.

Esses alimentos, ao chegar antes no seu sistema digestivo, irão estimular a produção de enzimas digestivas e facilitar a sua digestão.

São elas:

  • Kiwi;
  • Abacaxi;
  • Mamão.

Dicas:

  • Seja persistente nessa recomendação. Não ache que, agindo apenas uma vez, você vai amenizar os seus problemas com os gases.
  • Eleja a sua fruta e comece hoje mesmo. O ideal, leitor, é que você varie entre elas e consuma, até mesmo, aquela que você não é tão fã assim.

Uma boa digestão para você e que seu pum te indique bons caminhos de saúde. Se este artigo foi útil e esclarecedor, compartilhe e comente aqui embaixo.

Você acaba de ganhar o Livro Diabetes Zero!

O segredo para você reverter a sua glicemia alta está no Livro Diabetes Zero que você acabou de ganhar de presente.

Clique aqui para garantir o seu exemplar físico
Denise de Carvalho

Especialista: Denise de Carvalho

Médica e Especialista em Gastroenterologia

CRM: 14.558/SP

17 novembro 2020

Médica e Especialista em Gastroenterologia formada na PUC de Campinas em 1998, com especialização em Gastroenterologia pelo hospital Clínic de Barcelona, Cirurgia e Endoscopia Digestiva pela USP. Atua com Medicina Baseada na Individualidade, com olhar sobre o paciente (mente e corpo) e não somente na doença. Também é idealizadora do COINEMA - 1º Congresso Internacional de Emagrecimento On-line.

Conteúdos Relacionados