Doar sangue te deixa mais saudável?

Maior Menor
Pedro Bezerra Souza

Pedro Bezerra Souza

16 junho 2021

Editor

Se você ficou curioso, adiantamos que a resposta é sim! E trouxemos quatro benefícios que a doação de sangue traz à saúde do doador

Além de ser marcado por festas de São João — antes da pandemia, claro —, comidas de milho, fogueiras e a chegada do inverno, o sexto mês do ano carrega a campanha do Junho Vermelho. Você sabe o que ela significa?

O Junho Vermelho é um incentivo às doações de sangue, que são essenciais para salvar tantas vidas. Nesses últimos dois anos, porém, os estoques dos bancos de sangue diminuíram drasticamente devido à pandemia do coronavírus. A necessidade de reverter esses números é urgente.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, 1,8% da população brasileira doa sangue. O número está dentro dos parâmetros de, pelo menos, 1%.

A taxa, porém, está longe da meta da Organização Mundial da Saúde (OMS), que almeja ao menos 3% da população doadora. É essa mensagem que o Junho Vermelho vem reforçar.

Os benefícios para quem recebe a doação já são bem conhecidos. Porém, você sabia que há quatro grandes benefícios na saúde de quem faz a doação? 

O médico especialista da JOLIVI, Dr. Wilson Rondó, conta quais são:

1- Você salva vidas 

O primeiro e mais importante de todos é a sensação de salvar vidas. Cerca de 450 ml de sangue doado, o equivalente a uma bolsa de sangue, pode ajudar a salvar até 3 vidas. Ou seja, sua ida ao hemocentro pode dar esperança a outras três pessoas.

2- Reduz o nível de ferro no sangue

De acordo com o Dr. Rondó, “doadores de sangue têm 88% menos possibilidade de sofrer um ataque cardíaco em consequência da indicação do nível de ferro no sangue. As pessoas não entenderam ainda que o excesso de ferro é um fator negativo e que está relacionado ao risco aumentado de infarto do miocárdio”.

O Dr. Wilson Rondó escreveu um livro que vem mudando tudo que se sabe sobre curas naturais. Receba o material gratuitamente e aprenda soluções eficazes para perda de peso, hipertensão, Diabetes, artrite e dezenas de outros problemas de saúde.


3- Melhora o seu fluxo sanguíneo

Nosso cotidiano — de alimentação, hábitos, estresse — nos leva a ter um maior risco de hipercoagulação do sangue, que é algo silencioso, mas com elevado risco de morte súbita. Esse problema aumenta inflamações nas artérias e nas células. Com repetidas doações de sangue, consegue-se melhorar o fluxo sanguíneo e, assim, diminuir o risco de obstruções arteriais.

4- Maior longevidade

“Os estudos são muito claros ao retratar que pessoas que doam sangue vivem mais”, enfatiza o Dr. Rondó. 

Acredita-se, segundo ele, que seja por uma atitude que gera menos estresse e pela redução do nível de ferro circulante.

 


Os males do excesso de ferro

Apesar de ser essencial para a nossa vida, o excesso de ferro no sangue pode trazer problemas à saúde. Ele é um metal pesado que uma vez absorvido, fica dentro da célula. A capacidade oxidante do ferro é altíssima e, com isso, ele pode lesar os tecidos do corpo contribuindo para o surgimento de graves doenças.

Estudos relatam que pessoas com câncer com excesso de ferro têm cerca de três vezes mais possibilidades do aparecimento de tumores. Além disso, o ferro em excesso pode estar relacionado com o aparecimento de cirrose hepática, câncer de fígado, arritmia cardíaca, Doença de Alzheimer, diabetes tipo 1 e infecções virais e bacterianas.

Referências 

Am Heart J November 2011

Diabetologia, 2007; 50(5): 949-56

Cancer, 1991; 67:1707- 1712

Pedro Bezerra Souza

Pedro Bezerra Souza

16 junho 2021

Editor

Conteúdos Relacionados