Dieta Mediterrânea para seu coração

Maior Menor

“O vinho que alegra o coração do homem,
e o azeite que faz reluzir o seu rosto,
e o pão que fortalece o coração…”
Salmo 104, versículo 15

Se alguém sugerisse a Bíblia como a referência para encontrar a melhor dieta, eu duvidaria…

Mas o fato, amigos, é que os católicos, os protestantes, os judeus, os muçulmanos, os umbandistas e os ateus encontram nos chamados alimentos bíblicos, como os descritos no salmo acima, ingredientes que fazem parte da melhor dieta para a sua saúde, a chamada dieta mediterrânea.

Como diria o Dr. Vicente Amato, um médico amigo meu, a dieta mediterrânea é daquelas “receitas” boas de parto a infarto.

Um dos grandes pesquisadores dos alimentos bíblicos é Elliot Berry, professor da Universidade Hebraica de Jerusalém, uma espécie de “papa da nutrição”. Ele é um dos responsáveis por revelar os segredos da comida mediterrânea e espalhou os seus achados em diversas publicações científicas ao redor do mundo.

Os efeitos protetores, segundo o artigo de Berry veiculado no Journal of Cambridge, estão centrados, especialmente no coração e no cérebro, melhorando os indicadores de infarto, acidente vascular cerebral, circulação, obesidade, diabetes e sendo o cardápio sugerido até mesmo para a recuperação de pessoas com câncer.

A base dos alimentos bíblicos são castanha, uvas, figos, romãs, azeite e mel. Para ampliar os benefícios é preciso acrescentar os peixes, de preferência com escamas – Merluza, Tilápia e Salmão – sem negligenciar as carnes magras. Elliot Berry recomenda ainda a ingestão de quatro porções diárias de frutas e verduras. Vocês leram bem. DIÁRIAS!

Veja também: o Óleo que entope suas artérias

O grande lance da dieta mediterrânea é que ela sempre rende pratos coloridos – o que denota a oferta adequada de nutrientes. Isso significa que não adiante apostar em um ou outro alimento. Os efeitos protetores são resultantes do conjunto.

Mais do que isso. A dieta mediterrânea não comete o principal pecado das outras dietas: a exclusão. Carboidratos, proteínas, gordura. Todos fazem parte desta turma e operam verdadeiros milagres na sua saúde.

Está gostando desse artigo?
Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos sobre saúde natural
Receba Já

*Não vamos distribuir seu e-mail

As comidas bíblicas

Abaixo, uma breve descrição dos benefícios da comida bíblica:

Romã: antioxidante potente que reduz o risco de inflamações, colesterol ruim e câncer. Efeitos protetores com apenas 50 ml de suco por dia.

Figos: rico em minerais e fibras naturais, fonte de vitaminas, magnésio, ferro e cálcio, com compostos antioxidantes exclusivos.

Uvas (vinho): moderação é o segredo para conquistar os benefícios e proteger o coração, reduzir a instalação de placas de gorduras (colesterol) e melhorar a oxigenação do corpo – uma taça por dia amigos, sem exageros.

Castanhas: teores elevado de fibras, vitamina B, magnésio e vários tipos de antioxidantes. Amplia a elasticidade dos vasos sanguíneos e reduz o risco de “entupimentos”, a origem dos infartos e derrames.

Mel: tem funções fitoterápicas, sendo as mais conhecidas na regulação do sistema de defesa do corpo, chamado de imunológico, e para dissolver o muco, característico dos resfriados.

Azeite: o ideal é que seja o extra virgem. Alimento milenar, diminui o colesterol ruim e protege o coração. Já existem evidências sobre seus efeitos no osso, no controle do diabetes e no emagrecimento.

Veja também: o Menu Secreto que risca da sua vida Câncer, Alzheimer, Diabetes, Pressão Alta e Refluxo

Insira seu e-mail e receba nossos conteúdos gratuitos sobre saúde natural: