Dia Mundial da Saúde: o exercício da medicina integrativa como caminho de cura

Maior Menor
Pedro Bezerra Souza

Pedro Bezerra Souza

7 abril 2021

Editor

No dia 7 de abril celebra-se o Dia Mundial da Saúde e práticas naturais têm ganhado maior atenção para prevenir e combater doenças

A Organização Mundial da Saúde (OMS) define que “a saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade”. E é esse pensamento de saúde global (ou seja, pensando no corpo como um todo) que dá o tom da saúde integrativa, a missão da JOLIVI.

Cuidar do corpo e mente de forma natural é uma forma que vem sendo debatida com mais veemência desde a última década. Apesar de ser uma prática estudada há muitos anos, a população, de maneira geral, teve resistência para entender que existem tratamentos preventivos reais muito além da alopatia.

A medicina integrativa, dentro da saúde natural, busca cuidar do paciente como um todo e diversos profissionais estão inseridos nesse universo — como médicos, fisioterapeutas e nutricionistas. Difundir esse conhecimento e promover a autonomia de saúde de seus leitores é o papel da JOLIVI. 

Para quem precisa superar uma doença ou sintoma, esse pode ser um caminho a começar a trilhar neste Dia Mundial da Saúde. 

A importância dessa discussão é ainda mais singular quando as mortes relacionadas a “eventos adversos”, entre eles o uso de medicamentos, é a terceira maior causa de morte no Brasil, de acordo com dados do Ministério da Saúde e diante da expectativa da Organização das Nações Unidas de que, até 2050, 50 milhões de pessoas morrerão por ano em decorrência do uso excessivo de medicamentos.

O papel de práticas alternativas dentro do universo da saúde

Um dos fundamentos da medicina natural e integrativa começa por colocar o paciente como ator principal no processo, como seu próprio agente de saúde. Assim, ele deixa de receber passivamente o tratamento e passa a participar ativamente da própria saúde — que é, também, uma responsabilidade individual.

A JOLIVI endossa a importância de práticas fora da alopatia, do uso indiscriminado de medicamentos, no caminho do tratamento e até mesmo da cura de doenças. Alguns exemplos são a alimentação, suplementação, uso de chás e plantas medicinais, meditação, as técnicas de respiração, relaxamento, atividades físicas e regulação do sono.

Todas as recomendações da saúde natural são baseadas em evidências científicas e estudos publicados por importantes universidades e periódicos científicos em todo o mundo.

O que dizem os especialistas da JOLIVI?

Os profissionais de saúde integrativa da JOLIVI trabalham para conscientizar as pessoas sobre a importância de lidar com o bem-estar de maneira preventiva — e isso não quer dizer apenas fazer exames. Significa buscar hábitos que tornem o corpo saudável, cada vez mais imune a doenças e sempre ativo. 

Separamos a opinião de três desses médicos da JOLIVI sobre a saúde integrativa, o papel dela e o porquê de ser tão importante exaltá-la neste Dia Mundial da Saúde. Confira:

  • Dr. Carlos Schlischka 

“A medicina integrativa é, praticamente, uma filosofia. Não é uma especialidade, mas poderia até ser. Por exemplo, nos Estados Unidos existe, mas lá tem o nome de ‘medicina anti-idade’. O médico integrativo, independente de sua especialidade, pode atuar interativamente porque o organismo é um só. O que acontece em um órgão, pode estar acontecendo em outros. A grande questão do tratamento bem sucedido, é você atuar na causa.”

  • Dr. Naif Thadeu

“Vários motivos tornam a prática da medicina desta maneira poder ser dita ‘integrativa’. Primeiro, porque tratando o corpo como um todo, você trata todos os sistemas. Segundo, como a medicina se baseia na alimentação saudável humana, é preciso que haja uma integração que leve toda a família a aderir a uma alimentação, através de uma culinária de muito bom gosto. Outro motivo que ajuda a ser reconhecida como medicina integrativa, é o fato de você não cuidar só da parte orgânica e biológica, mas também a parte elétrica, vibracional. Por fim, é integrativa porque tem que fazer uma integração perfeita e harmônica entre o indivíduo e o meio ambiente. É muito importante o respeito com o planeta.”

  • Dr. Alain Dutra

“Na medicina integrativa, precisamos entender que, apesar de conseguir o poder de assumir as rédeas da nossa saúde, não podemos ficar sem acompanhamento de médicos especialistas. Nenhum sintoma vem do nada – tudo que a gente faz na vida interfere na nossa saúde. O corpo e a mente andam em conjunto. A saúde natural vem justamente nos ensinar a fazer essa engrenagem funcionar.”

Quando se trata da medicina tradicional e dos tratamentos convencionais, os médicos da JOLIVI reforçam que o uso de medicamentos e cirurgias podem salvar vidas, quando há necessidade de intervenção emergencial.

Pedro Bezerra Souza

Pedro Bezerra Souza

7 abril 2021

Editor

Conteúdos Relacionados