Buscar

Depressão tem cura? Conheça a Erva de São João, um antidepressivo natural

Maior Menor
Dr. Nelson Annunciato

Especialista: Dr. Nelson Annunciato

Neurocientista

22 maio 2020

Dr. Nelson Annunciato é pós-graduado e especialista em órgãos dos sentidos pelo Departamento de Biologia da UNICAMP; Doutorado em Neurociências pelo Instituto de Ciências Biomédicas da USP e pela “Medizinische Universität zu Lübeck” (Universidade Médica de Lübeck, Alemanha); Pós-doutorado em Programas de Reabilitação Neurológica pelo “Kinderzentrum München” (Centro Infantil de Munique, Alemanha).

Sem forças para fazer as coisas que te faziam feliz antes, como ir ao cinema, sair para jantar ou ver um jogo do seu time? Sem planos para futuro, sem confiança ou autoestima?

Se tem se sentido desta forma, quero que saiba: você não merece uma vida assim!

Eu sei bem, porque já estive nessa situação cruel.

Sou neurocientista há 40 anos, com mestrado e doutorado no Brasil e na Europa, e apesar da minha especialidade, eu também já tive depressão, sentindo na pele – e na alma – a angústia de não conseguir ver esperança para o meu futuro.

Tomei os antidepressivos que meu psiquiatra tanto insistia. Cheguei a ter uma leve melhora, mas passei a sofrer com os inúmeros efeitos colaterais desses remédios: tontura, boca seca, ganho de peso, pressão alta…

Claro que o objetivo aqui não é propor o abandono do tratamento, sem nenhuma reflexão e sem nenhum acompanhamento do seu médico.

Mas não dava mais só para aumentar as doses das drogas ou ficar à mercê de um novo lançamento no mercado dos laboratórios. Eu entendi que precisava ir além.

Por isso, pesquisei e entendi, cientificamente, que a área da psiquiatria e do bem-estar foram tomadas de assalto pela indústria farmacêutica.

A Indústria Farmacêutica lucra milhões com a venda dos antidepressivos que causam muito mais problemas do que soluções.

Então foi aí que dei um basta e decidi buscar uma alternativa natural que vou compartilhar com você neste artigo.

Por que os remédios para depressão são perigosos?

“Um placebo com efeitos colaterais”. Essa foi a conclusão de Irving Kirsch(15), da Harvard Medical School, que reavaliou 38 testes clínicos envolvendo mais de 3.000 pacientes depressivos e teve um resultado revoltante.

Os remédios para depressão, como fluoxetina, sertralina e citalopram, analisados se mostraram até menos eficazes que pílulas de farinha – o placebo.

E a ineficácia é só a ponta do iceberg. A lista de efeitos colaterais dos antidepressivos é gigante:

  • Perda de memória;
  • Disfunção sexual;
  • Dependência química;
  • Dificuldade de coagulação;
  • Perda de apetite;
  • Constipação intestinal ou diarreia;
  • Elevação da pressão sanguínea;
  • Ganho de peso;
  • Erupções cutâneas;
  • Dor de cabeça;
  • Dor nas articulações;
  • Tonturas e náuseas;
  • E entre outros.

Terrível, não?

[VAZOU] O Ranking dos 7 Remédios Mais Letais

Tivemos acesso a um ranking que desmascara os 7 remédios mais perigosos que ameaçam a sua saúde. A chance de você ter pelo menos 4 deles na sua gaveta HOJE é muito grande. Saiba de tudo agora.

Os antidepressivos não sanam aquilo a que se propuseram a combater e ainda você precisa lidar com a possibilidade real de conviver com essa lista de efeitos colaterais.

E qual é meu objetivo aqui a te mostrar todo esse cenário? Dizer, verdadeiramente, que a escolha para um caminho mais natural para lidar com a depressão é mais do que uma opção. É uma necessidade.

Depressão tem cura?

Existe modulador de humor natural com propriedades medicinais conhecidas há séculos, mas que hoje foi abafado por causa dos remédios.

Em alguns países da Europa, como a Alemanha (16), essa erva é a primeira opção de tratamento contra depressão, mais utilizada que os antidepressivos convencionais.

E o melhor: não apresenta efeitos colaterais, nem mesmo a tontura ou confusão mental que costumam ser associados aos antidepressivos.

Então, se você ou algum familiar sofre com depressão, é fundamental que conheça esse antidepressivo natural: a Erva de São João.

Conheça a Erva de São João: um antidepressivo natural

A Erva de São João é uma planta que atende cientificamente pelo nome Hypericum perforatum. Aqui no Brasil, pode ser encontrada como Hipérico também.

Usada desde a Idade Média, ela é conhecida por aumentar a disponibilidade de neurotransmissores, como a serotonina, uma substância essencial para a regulação do humor e, também, pela sensação de recompensa do cérebro.

um balde de erva de são joão

A Erva de São João é considerado um “antidepressivo natural” porque aumenta a produção de serotonina

Além dos seus efeitos antidepressivos, foram identificados poderes anti-inflamatórios e analgésicos, sendo também indicada para as mulheres que sentem os sintomas da tensão pré-menstrual com mais intensidade — principalmente aqueles relacionados com a labilidade emocional.

Outro potencial da Erva de São João é sua ação no sistema nervoso. Por isso, ela é bastante utilizada também em casos de alcoolismo, reduzindo o desejo e a compulsão pela substância.

O órgão que secretamente apaga a Depressão

Diferentemente do que muitos pesquisadores acreditavam, a origem da Depressão NÃO está no cérebro.

Há um outro órgão no seu corpo quimicamente controlando suas emoções, capaz de dar fim à apatia, desânimo e tristeza – saiba aqui qual é este órgão.

Os benefícios da Erva de São João no tratamento da depressão

Os poderes medicinais da planta no sistema nervoso podem ajudar quem está passando por uma depressão leve ou moderada.

A Erva de São João é capaz de aumentar a disponibilidade da serotonina, neurotransmissor que fica “em falta” em pessoas com depressão.

Em 2002, durante seis semanas, um estudo dinamarquês analisou 70 pacientes do sexo masculino, com média de idade de 50 anos, que sofriam de depressão leve a moderada.

Os participantes foram divididos e metade recebeu um comprimido de extrato de Erva de São João. Já a outra metade, o famoso Prozac (fluoxetina).

Como resultado, os especialistas e pacientes indicaram “melhora considerável e sem diferenças entre tratamentos”.

Uma revisão de estudos, de 2008, analisou 29 pesquisas envolvendo 5.489 pacientes e comparou o uso desse suplemento com placebo e com propriedades antidepressivas da planta.

A revisão concluiu que as pessoas eram significativamente mais propensas a responder a Erva de São João do que ao placebo. Ou seja, com a Erva de São João, é possível é possível obter resultados similares aos dos medicamentos.

Levando em conta que o Prozac tem mais de 40 efeitos adversos descritos, considerar um método mais natural, menos perigoso e de mesma eficácia é uma excelente notícia.

uma mulher tomando remédio

Que tal ao invés de depender dos remédios químicos, testar uma alternativa natural? Saiba como consumir a Erva de São João

Como consumir a Erva de São João?

Recomendo o uso do extrato da Erva de São João em cápsulas, de 100 a 300g.

Porém, converse sempre com o seu médico de confiança para que ele te ajude a achar a quantidade ideal.

ATENÇÃO: Não recomendamos que você interrompa qualquer tratamento por conta própria. A dica é que você priorize as mudanças de hábitos e, em conjunto com o profissional que te acompanha, traçar um plano de saúde.

Referências bibliográficas:

    • Kirsch I. Placebo Effect in the Treatment of Depression and Anxiety. Front Psychiatry. 2019;10:407. Published 2019 Jun 13. doi:10.3389/fpsyt.2019.00407;
    • Horm Metab Res. 2011 Mar;43(3):223-5;
    • J Am Med Dir Assoc. 2019 May;20(5):517-523.
    • https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4172306/
    • https://www.nytimes.com/1997/09/09/science/in-germany-humble-herb-is-a-rival-to-prozac.html
Dr. Nelson Annunciato

Especialista: Dr. Nelson Annunciato

Neurocientista

22 maio 2020

Dr. Nelson Annunciato é pós-graduado e especialista em órgãos dos sentidos pelo Departamento de Biologia da UNICAMP; Doutorado em Neurociências pelo Instituto de Ciências Biomédicas da USP e pela “Medizinische Universität zu Lübeck” (Universidade Médica de Lübeck, Alemanha); Pós-doutorado em Programas de Reabilitação Neurológica pelo “Kinderzentrum München” (Centro Infantil de Munique, Alemanha).

Conteúdos Relacionados