Buscar

Cúrcuma: para que serve, benefícios e como consumir

Maior Menor
Dr. Nelson Annunciato

Dr. Nelson Annunciato

Neurocientista

7 dezembro 2020

Dr. Nelson Annunciato é pós-graduado e especialista em órgãos dos sentidos pelo Departamento de Biologia da UNICAMP; Doutorado em Neurociências pelo Instituto de Ciências Biomédicas da USP e pela “Medizinische Universität zu Lübeck” (Universidade Médica de Lübeck, Alemanha); Pós-doutorado em Programas de Reabilitação Neurológica pelo “Kinderzentrum München” (Centro Infantil de Munique, Alemanha).

Há um ingrediente que está na sua cozinha que pode explicar o fato de a Índia ter uma das menores taxas de Alzheimer do mundo: a Curmuma longa.

Também chamada de açafrão, essa planta é uma das mais presentes na medicina tradicional indiana. Seus poderes mais conhecidos são:

  • Prevenção do Alzheimer;
  • Proteção do fígado, do estômago e da vesícula;
  • Tratamento da artrite; e
  • Combate ao câncer.

Mas, neste primeiro momento, vou me aprofundar nos feitos da cúrcuma no cérebro.

A cúrcuma pode prevenir – e até reverter – o Alzheimer

Primeiro, preciso que você entenda por que a Índia é um dos lugares com menor índice de Alzheimer.

O fato é que o país asiático é também um dos maiores consumidores do curry – um tempero feito principalmente com a cúrcuma.

Os arquivos de neuropsiquiatria da Revista de Saúde Pública indicam que a prevalência média de demência, em pessoas acima dos 65 anos de idade, foi de 7% na América do Sul.

Já na Índia, a taxa média ficou em torno de 1% — a menor média mundial.

Segundo os ensaios científicos, a curcumina age justamente nesse ponto, bloqueando a formação de placas da proteína beta-amilóide e, caso ela já tenha se formado, consegue quebrá-la, realizando a “faxina”.

Um estudo realizado na Índia ainda testou a curcumina em cérebros de ratos danificados pela ação do álcool.

A administração de curcumina nesses animais restaurou os níveis de glutationa para quase normal.

A glutationa é uma enzima antioxidante muito poderosa produzida pelas próprias células. Quanto mais glutationa mais saudáveis as células são porque ela elimina os radicais livres, a sujeira que se acumula no nosso organismo e que precisa ser removida.

Um cérebro doente tem dificuldade em produzir a glutationa.

Agora, eu te convido a fazer um exercício comigo. Coloque no Google a seguinte frase: o que causa o Alzheimer?

[VÍDEO] Como ter um cérebro 29 anos mais jovem

O neurocientista Dr. Nelson Annunciato ensina a rejuvenescer o seu cérebro para aumentar em 95 por cento sua memória, turbinar seu foco e raciocínio.

Quer um cérebro até 29 anos mais jovem? Então assista aqui.

O que causa o Alzheimer?

Você vai se deparar com dezenas de artigos que dizem apenas que é uma doença genética e que, portanto, não há muito o que fazer. A sensação que dá é que a única alternativa é sentar e esperar a doença chegar.

Isso gera um sentimento de impotência frente à doença, eliminando possibilidades de prevenção e até de reversão dessa condição que atinge um em cada dez cidadãos acima dos 65 anos.

No entanto, cientistas já sabem que as causas vão muito além da genética e estão muito ligadas a hábitos como:

  • ­ Tabagismo;
  • ­ Álcool;
  • ­ Sedentarismo;
  • ­ Alimentação com excesso de açúcar e industrializados; e
  • ­ Abuso de medicamentos (muito deles fazem parte do seu dia a dia).
alimentos ricos em carboidratos ruins

Consumir alimentos ricos em carboidratos também pode ser um dos motivos do aparecimento do Alzheimer

E veja o que mostrou essa pesquisa realizada na Tailândia.

Os pesquisadores mostraram que células cerebrais foram danificadas com o uso da dexametasona. Isso mesmo, medicamento muito utilizado no mundo todo para problemas respiratórios.

Nunca abandone tratamentos ou tome medicamentos por conta própria, mas nessa mais de uma década de pesquisa sobre as plantas, eu também acabo me deparando com essas consequências desastrosas de muitos medicamentos.

Isoladamente, ou em conjunto, esses hábitos causam um desequilíbrio no seu cérebro quando o “lixo” gerado é muito maior do que a equipe de limpeza.

O lixo, nesse caso, são os radicais livres, que se formam como consequência de reações químicas adversas. Esse lixo é removido constantemente pelos antioxidantes.

Se o lixo for muito maior do que a equipe de limpeza, ele começa a se acumular e a agredir o cérebro.

No caso do Alzheimer, começa a haver, no cérebro, um acúmulo de uma proteína chamada beta-amiloide, capaz de formar placas que começam a impedir a comunicação das células do hipocampo, o que pode levar a sua destruição. Essas células são as responsáveis justamente pelas memórias recentes.

Se as placas não forem removidas, elas começam a se espalhar por todo o cérebro.

Passam a afetar a capacidade de aprendizado e de compreensão, em seguida a linguagem, chegando ao ponto em que a pessoa não consegue mais se cuidar sozinha.

Quem tem um ente querido passando por isso sabe a dor que é ver a doença evoluir e os remédios fazerem pouco efeito.

raiz cúrcuma e balde de pó de cúrcuma

A cúrcuma ajuda a limpar o “lixo” do cérebro e blindar as memórias

Protege fígado, estômago e vesícula

Como já disse, não é somente sobre o cérebro que a planta age.

A cúrcuma tem outras propriedades muito interessantes, como na proteção do fígado, do estômago e na estimulação da vesícula biliar.

Dentre suas ações, ela tem o poder de evitar a formação de cálculos e da “areia” da vesícula.

Um estudo realizado na Itália mostrou a eficiência dessa raiz em todo o aparelho digestivo. Isso é possível graças à sua alta atividade anti-inflamatória, antioxidante, antiproliferativa e antimicrobiana.

Cúrcuma ajuda no tratamento de artrite

Em alguns casos, o açafrão tem ação semelhante a de medicamentos químicos, como no tratamento de artrite e da osteoartrite.

Estudo realizado numa parceria dos EUA com a Coreia do Sul trouxe evidências científicas de que o tratamento de 8 a 12 semanas de extratos de açafrão pode reduzir os sintomas da artrite (principalmente dor e sintomas relacionados à inflamação) e resultar em melhorias semelhantes aos dos causados pelo ibuprofeno e pelo diclofenaco de sódio.

Mas sem, é claro, os efeitos colaterais desses medicamentos, que podem prejudicar o coração e até a potência sexual.

Cúrcuma ajuda no combate ao câncer

Por ser uma poderosa antioxidante e anti-inflamatória, a curcumina é associada ao tratamento de diversos cânceres, como o de boca.

Um estudo realizado por pesquisadores indianos e americanos analisou o efeito da curcumina em células de carcinoma oral provenientes de HPV.

Mais de 85% das células doentes morreram sob sua ação após três horas de contato. Um grupo de pacientes com câncer de pâncreas em estado avançado foi submetido a um tratamento com 400 mg de curcumina/dia para complementar as técnicas médicas.

Os tumores diminuíram notavelmente, sem que houvesse sinais de toxicidade derivados do consumo da especiaria.

A cúrcuma é um dos alimentos mais interessantes contra o câncer, pois atua nas três fases da doença. Bloqueia sua iniciação, sua promoção e sua progressão. São raros os alimentos capazes de bloquear as três fases do câncer.

[Revelada] A arma escondida por Hitler pode matar as células cancerígenas

Durante a II Guerra Mundial, um brilhante cientista alemão teria conseguido o impossível: uma forma de matar as células cancerígenas.

Veja aqui todas as provas

Dicas para consumir a cúrcuma

A maioria das pessoas tem um potinho de açafrão na cozinha, mas na minha opinião, essa é uma especiaria subutilizada.

Ela deveria ser usada em todas as refeições e não apenas quando preparamos aquele frango com curry ou quando queremos colorir nosso prato.

Além de ser excelente para o cérebro, ele é um coringa nos tratamentos da saúde porque tem ações:

  • ­ Analgésica;
  • ­ Antitérmica;
  • ­ Antibiótica;
  • Imuno-estimulante;
  • ­ Protetora do rim; e

­ Protetora do estômago.

Para aumentar o uso dele no dia a dia, você pode fazer este azeite medicinal de açafrão:

azeite de açafrão

Que tal azeite de açafrão para blindar o seu cérebro?

A receita de azeite de açafrão

Escolha um azeite de qualidade e coloque todo seu conteúdo em banho-maria.

O fogo deve ser baixo e não deve passar dos 40ºC para não oxidar o azeite.

Adicione uma boa quantidade de açafrão ralado. Uma quantidade grande, mas que se misture completamente ao azeite.

Deixe no banho maria por uma hora. Espere esfriar e coe.

O azeite vai ficar bem amarelo, alaranjado mesmo e você poderá usá-lo em vários preparos.

Suplementação de cúrcuma

Para ter uma ação do açafrão ainda mais eficaz, é possível fazer sua suplementação.

Opte sempre pelas cápsulas de farmácias de manipulação que vão oferecer extrato seco padronizado de açafrão.

Geralmente, cápsulas que já vêm prontas trazem apenas o pó de açafrão, o que não é a mesma coisa.

Em cápsulas com extrato seco padronizado, a concentração de curcumina, princípio ativo da cúrcuma, é muito maior.

O consumo de cúrcuma combinado com a piperina potencializa os efeitos protetores do ingrediente.

Para quem não está familiarizado, a piperina é a popular pimenta! Melhor ainda, a pimenta preta, por conter maior quantidade da substância.

Tal constatação está endossada pelo estudo do St. John’s Medical College, que afirma que a piperina aumenta a absorção da cúrcuma e aumenta sua ação em até 2.000%.

A sugestão é 300 mg de açafrão e 5 mg de piperina em cada cápsula.

Atenção: não use piperina se você tiver problemas gástricos, porque pode irritar a mucosa do estômago.

Esse conteúdo completo sobre a cúrcuma te ajudou de alguma forma? Comente e compartilhe com seus amigos.

Dr. Nelson Annunciato

Dr. Nelson Annunciato

Neurocientista

7 dezembro 2020

Dr. Nelson Annunciato é pós-graduado e especialista em órgãos dos sentidos pelo Departamento de Biologia da UNICAMP; Doutorado em Neurociências pelo Instituto de Ciências Biomédicas da USP e pela “Medizinische Universität zu Lübeck” (Universidade Médica de Lübeck, Alemanha); Pós-doutorado em Programas de Reabilitação Neurológica pelo “Kinderzentrum München” (Centro Infantil de Munique, Alemanha).

Conteúdos Relacionados