Cuidado com a mente: ansiedade pode levar ao infarto?

Maior Menor
Pedro Bezerra Souza

Pedro Bezerra Souza

30 julho 2021

Editor

A ansiedade toma conta da mente, os sinais físicos surgem e o medo se generaliza; entenda os sintomas da ansiedade, a prevenção e o controle de crises

Os sinais da ansiedade começam discretamente, mas logo o nervosismo dispara a liberação de cortisol – hormônio do estresse – e adrenalina – o hormônio do alerta – pelas glândulas suprarrenais. Os batimentos cardíacos e a respiração aceleram. A pressão sobe e os músculos se contraem.

Levanta, anda, respira. Suor, tremores, dor de barriga. De repente, o corpo inteiro está em pico de estresse. O medo da ansiedade estar direcionando a um possível infarto toma conta dos pensamentos. 

Mas será que a ansiedade pode causar esse dano todo ao coração? Infelizmente, sim. Mas, calma, não é tão simples assim.

O médico e especialista da Jolivi, Dr. Carlos Schlischka, é um estudioso da saúde do coração. Sobre a relação com a ansiedade, então, ele consegue explicar cada detalhe dessa combinação nada desejada.

Em um vídeo produzido com exclusividade para essa reportagem, o Dr. Carlos contou os sinais psicológicos e físicos da ansiedade, os riscos ao coração, a eficácia de soluções naturais e táticas caseiras para controlar crises.

Assista:

Universidade de Petersburgo associa doenças cardíacas com ansiedade

Pesquisadores da Universidade de Petersburgo, na Rússia, desenvolveram um estudo em que relacionam doenças cardiovasculares com quadros de ansiedade e pânico.

Além da hipertensão, sedentarismo e fatores genéticos, os estudiosos constataram que o estresse, a ansiedade e a depressão são fatores de risco para o coração e têm potencial de modificar de forma grave o funcionamento normal do sistema nervoso.

Em um grupo de 63 pessoas adultas, entre homens e mulheres, foi percebido que mecanismos da ansiedade (como palpitações, taquicardia, dormências) podem influenciar na saúde do coração e desencadear doenças coronárias. 

A angina e o infarto do miocárdio, citados pelo Dr. Carlos Schlischka no vídeo, estão na relação dos pesquisadores russos. Em uma análise empírica durante eventos de oscilação emocional, seguidos de exames clínicos, foi percebido que parte dos participantes tinha perspectiva de, em algum momento, chegar a quadros coronários mais severos.

O Dr. Carlos, inclusive, ensinou a fazer uma faxina simples nas artérias para baixar a pressão e prevenir infarto

Os chás citados pelo Dr. Carlos

No vídeo, o Dr. Carlos recomendou os chás de camomila, erva-cidreira e passiflora para prevenir e controlar a ansiedade. 

A nutricionista e também especialista da Jolivi, Lara Gabriela Cerqueira, conhece uma infinidade de plantas que são melhores que drogas. Aqui, ela tem a receita para os três chás sugeridos:

  • Camomila (Matricaria chamomilla).

A cada preparo, coloque 200ml filtrada para ferver. Assim que a água começar a borbulhar, coloque uma colher de sopa de camomila (prefira a planta seca ou fresca), tampe o recipiente por cinco minutos para abafar. Depois disso coe e beba em seguida. Beba uma xícara 30 minutos antes de dormir.

  • Erva-cidreira (Melissa officinalis)

Lave bem as folhas da erva-cidreira e, com uma tesoura, corte em pequenos pedaços. Amasse e separe. Aqueça 200ml de água e, antes de ferver, coloque as folhas. Deixe por 10 minutos em infusão e beba em seguida. 

  • Passiflora (Passiflora incarnata)

Coloque duas colheres de chá das folhas secas em uma xícara com água fervente. Deixe em repouso por 10 minutos, coe e beba normalmente. Você pode consumir o chá até três vezes por dia. 

Consulte o seu médico

Se você também optar pela suplementação de magnésio ou mesmo a ingestão em cápsulas da valeriana, como o Dr. Carlos mencionou, o recomendado é que você procure a orientação do seu médico de confiança. Assim, ele receitará a dosagem necessária de acordo com a sua necessidade.

Referência:

 

  • Thurston RC, Rewak M, Kubzansky LD. An anxious heart: anxiety and the onset of cardiovascular diseases. Prog Cardiovasc Dis. 2013 May-Jun;55(6):524-37. doi: 10.1016/j.pcad.2013.03.007. PMID: 23621962.

 

Pedro Bezerra Souza

Pedro Bezerra Souza

30 julho 2021

Editor

Conteúdos Relacionados