Buscar

Coronavírus: 6 dicas para aumentar a imunidade e prevenir infecção

Maior Menor
Dr. Wilson Rondó

Especialista: Dr. Wilson Rondó

Médico Cirurgião Vascular e Nutrólogo

CRM: CRM 47078/SP

31 janeiro 2020

Dr. Wilson Rondó é médico formado em cirurgia vascular e especialista em nutrologia. Em seus 33 anos de profissão, já atendeu 20 mil pessoas. Percorreu diversos países pioneiros na visão integrativa do paciente, como França, Alemanha e Estados Unidos, em busca de respostas para o diabetes e a obesidade.

Muitas pessoas têm me enviado e-mails na Jolivi preocupados com o risco da epidemia do Coronavírus (Covid-19) aqui no Brasil.

Não quero deixá-lo em pânico, mas é importante que estejamos com uma saúde blindada, porque não sabemos as consequências de um problema global.

Eu entendo que você esteja bastante preocupado com o Coronavírus e deseja manter a sua saúde em dia, evitando, dentro do possível, qualquer risco que o coloque no alvo de processos gripais, viróticos.

Estamos sujeitos com frequência a essas situações, mas como a preocupação é maior quando nos deparamos com novos surtos epidêmicos de condições muitas vezes inesperadas, gostaria de lhe fornecer um caminho para criar um escudo protetor frente à ameaça.

Assim, você pode desfrutar de uma vida saudável e sem adoecer. Mas antes, preciso explicar…

O que é Coronavírus?

Conhecidos desde 1960, coronavírus é uma grande família viral que causam infecções, geralmente doenças respiratórias leves a moderadas que lembram um resfriado comum.

Porém, como vimos os casos recentes da China, o Covid-19, eles podem causar sintomas graves com impacto na saúde pública.

Como Coronavírus é transmitido?

As informações ainda estão sendo atualizadas pelos pesquisadores, mas a transmissão do vírus costuma acontecer pelo ar ou até por contato pessoal com secreções contaminadas, como: saliva, espirro, tosse, catarro ou até contato com objetos ou superfícies afetadas, seguido de contato com a boca, nariz e olhos.

O Covid-19 pode ficar incubado por até duas semanas e ocorrer os primeiros sintomas depois desse período.

6 passo a passo para prevenir infecção por Coronavírus

A transmissão do Coronavírus (Covid-19) pode acontecer pelo ar ou até contato pessoal

Quais são os sintomas do Coronavírus?

Os sintomas do Coronavírus geralmente são respiratórios, bem parecido a um gripe, mas podem também causar infecções do trato respiratório, como as pneumonias.

Os principais sinais são: febre, tosse e dificuldade para respirar.

Como prevenir a infecção por coronavírus?

De acordo com o estudo publicado no The Lancet por pesquisadores chineses, o Coronavírus (Covid-19) e os seus sintomas mais graves surgem principalmente em pessoas com imunidade baixa e que tenham alguma doença crônica, como diabetes, doenças cardiovasculares, problemas digestivos ou respiratórios e câncer.

Por isso, reuni, exclusivamente para você e a sua família, um passo a passo com 6 dicas para aumentar a imunidade e prevenir possíveis infecções de Coronavírus ou qualquer outro vírus que pode estar rondando a sua saúde.

Vitamina D ativa o sistema imunológico e evita resfriados e infecções

Saiba que se você é deficiente em vitamina D, não tem como ativar o seu sistema imunológico para protegê-lo, especialmente para evitar resfriados, gripes e outras infecções do trato respiratório.

É um hormônio esteroide com poderosas ações antimicrobianas envolvidas na produção de 200 a 300 peptídeos no organismo responsáveis ​​pelo combate a bactérias, vírus e fungos. Mantenha níveis ótimos de vitamina D (entre 80 e 100ng/mL) e assim você terá proteção máxima para uma ameaça do Coronavírus.

Muitos acreditam que, por estarmos num país de bastante sol e com mais chances de exposição a ele, temos todos bons níveis de vitamina D.

Mas vejo isso com grande preocupação porque a deficiência de vitamina D atinge a até 90% da população, segundo estudo com 1.600 pessoas.

A exposição ao sol de forma consciente todos os dias — aproveite o verão para tomar sol com o corpo 80% descoberto por 20 minutos, entre as 10h e 15h — garante a você bons níveis de vitamina D.

Mas, se não for possível, eu indico que a maioria dos adultos deve suplementar 10.000 UI de vitamina D3 por dia para que atinja níveis terapêuticos.

Esse nível precisa ser controlado com exame de sangue periodicamente para evitar toxicidade. A minha sugestão é que sempre se suplemente vitamina D3 em conjunto com vitamina K2 e magnésio.

Em termos alimentares, enfatize: óleo de fígado de bacalhau, carne, ovos e manteiga de animais criados a pasto, camarão e ostras, salmão, sardinhas e arenque.

Vitamina C: quanto maior a dose, melhores são os resultados

Os estudos mostram que a vitamina C está intimamente envolvida no funcionamento do sistema imunológico. Portanto, manter níveis adequados dela colabora na prevenção ou redução do tempo de doença.

Aconselha-se então a suplementação regular da vitamina C. Quanto maior a dose que você toma, melhores são os resultados.

Alimentos que são ricos em vitamina, como kiwi, morango, laranja, tomate, brócolis, pimentão e entre outros

Suplementação regular de vitamina C ativa o sistema imunológico e previne até possíveis infecções de vírus

Níveis ótimos de vitamina C aumentam a proteção de morte por qualquer causa.

A suplementação deve ser feita com critério médico, pois doses elevadas podem causar diarreia. Os estudos aconselham que se use de 3 a 4 gramas, de hora em hora, nos períodos de doença.

Aposte em alimentos ricos em vitamina C como Kiwi, acerola, frutas cítricas, pimentão vermelho, brócolis, couve de Bruxelas, abóbora, mamão, batata doce e tomate.

Vitamina A é um ótimo antioxidante e previne invasão de microrganismos

A vitamina A é um ótimo antioxidante, pois previne a invasão de microrganismos, aumenta a integridade da pele e das mucosas, reduzindo o risco de infecção e apoia a cicatrização de feridas através da força do colágeno.

Presente em cenouras, abóboras, batatas doces, folhas verdes escuras, salmão selvagem do Alasca, ovos orgânicos, laticínios e carne de animais criados a pasto.

A dosagem recomendada pelos estudos é 10.000 UI (3.000 mcg) por dia.

A família do Vitamina B é poderosa para combater gripes e resfriados

Todos os elementos do complexo B interagem sinergicamente melhorando a imunidade, com ênfase em especial à Vitamina B6 (fortalece o sistema imunológico) e Vitamina B12 (poderoso nutriente para combater gripes e resfriados).

São encontrados em vegetais folhosos escuros, peixes de água frias, salmão selvagem do Alasca, laticínios, leite cru e carne vermelha de animais criados a pasto.

Os estudos sugerem 1 a 2 comprimidos por dia.

Zinco: o mineral que te deixa mais forte

O zinco é um mineral antioxidante, que cria e ativa os glóbulos brancos do seu sistema imunológico.

Os alimentos que contêm zinco são frango e carne vermelha de animais criados a pasto, espinafre, nozes, sementes de abóbora e tofu.

A dosagem recomendada pelos estudos é de 15 a 25 mg por dia. O uso prolongado requer cobre para manter a correlação zinco – cobre adequado. Só deve ser usado com supervisão médica.

Verifique ainda se você está com deficiência desse mineral.

Pílula do Homem: O real alívio da próstata

Você já ouviu falar dessa substância natural que lhe dá um jato forte para que você possa esvaziar a sua bexiga por completo?

Com apenas duas doses por dia, você recupera suas noites de sono e de prazer e ainda se protege do câncer de próstata.

Saiba aqui qual é esta pílula que vem causando furor entre médicos e pesquisadores europeus.

Um antioxidante na castanha

O selênio é também um poderoso antioxidante para a proteção do sistema imunológico, que regula a atividade da enzima glutationa peroxidase, catalisando a ação do peróxido de hidrogênio e dos hidroperóxidos orgânicos.

A melhor fonte de selênio são as castanhas do Pará, frango e carne vermelha de animais criados a pasto, e frutos do mar.

A dosagem recomendada na literatura é 200 mcg por dia.

Além dessas vitaminas e minerais que reforçam o seu sistema imunológico, tenho algumas outras dicas para você.

A importância da alimentação para se proteger do Coronavírus

Procure fazer uma dieta com o mínimo possível de carboidratos refinados, açúcar, frutose e grãos porque esses aumentarão seu nível de insulina, o que predispõe queda imunológica, possível infecção por Coronavírus (Covid-19), além de envelhecimento precoce.

Enfatize a ingesta de gorduras boas em abundância, proteína em moderação e bastante fibras vegetais.

As fibras não apenas ajudam a equilibrar seu microbioma intestinal, como também ajudam a melhorar seu sistema imunológico, pois os amidos resistentes agem como prebióticos para alimentar bactérias saudáveis ​​em seu intestino.

Confira a entrevista inédita sobre os melhores alimentos para coronavírus. Ouça o Soluções Naturais, podcast da Jolivi: 

Aposte nos fitoterápicos

Fitoterápico #1: Quercetina

É um bioflavonóide protetor contra o dano oxidativo encontrado naturalmente em diversos alimentos, como cebola, maçãs, chá preto, vinho tinto e berries.

Previne e trata resfriado comum e gripe, além de ser um poderoso antiviral.

Age inibindo a capacidade viral e sua replicação. Torna as células infectadas mais susceptíveis aos medicamentos antivirais.

Oferece proteção contra o vírus influenza A H1N1, H3N2 e H5N1, modulando a expressão da proteína.

A dosagem comum de suplementação é 400 mg 2 a 3 vezes ao dia.

Fitoterápico #2: Própolis vermelho

Tão conhecido entre as famílias, o própolis apresenta alto potencial imunomodulador anti-infecção, antivírus, além da sua função anticancerígena.

Os seus compostos imunomoduladores mais importantes, o éster fenetílico do ácido cafeico (CAPE) e artepillin C, exercem uma função imunossupressora a nível de linfócitos T e ativam a função dos macrófagos.

A boa biodisponibilidade pela via oral, além da sua segurança, fazem do própolis um agente adjuvante ideal para programas imunomoduladores ou anticancerígenos.

A literatura recomenda 5 a 10 gotas diluído em 1 copo de água, 2x/ dia.

Agora, leitor, basta seguir as minhas dicas. Que tal começar com um banho de sol? Com os recursos certos, você pode estar blindado de doenças que o preocupam, não apenas o Covid-19.

Converse com o seu médico sobre isso.

Eu lhe desejo dias melhores.

Se você gostou desse conteúdo, comente e compartilhe nas suas redes sociais.

Referências bibliográficas:

  • MSNBC.com August 30, 2011
  • PLoS Genetics August 25, 2011
  • Integrative Cancer Therapies. Sepetember2003
  • Pharmaceutical Biology, October 7, 2008
  • WebMD, “Echinacea”
  • Fitoterapia 2015 Oct;106:256-71
  • Journal of Agricultural and Food Chemistry 2016; 64(21): 4416-4425
  • Viruses 2016 Jan; 8(1): 6
  • The FASEB Journal. 2013;27:lb350
  • Cholesterol-and-health.com. May 25, 2006.
  • Low Cholesterol Leads toan Early Death. EvidenceFrom 101 Scientific Papers. Grosvernor House Publishing. 2012.
  • Disorders of Boneand Mineral Metabolism. 2002 p. 159
  • Dtsch Arztebl Int. 2012
  • Circulation. Jan. 2, 2015
  • Endocrine Research. 2016
Dr. Wilson Rondó

Especialista: Dr. Wilson Rondó

Médico Cirurgião Vascular e Nutrólogo

CRM: CRM 47078/SP

31 janeiro 2020

Dr. Wilson Rondó é médico formado em cirurgia vascular e especialista em nutrologia. Em seus 33 anos de profissão, já atendeu 20 mil pessoas. Percorreu diversos países pioneiros na visão integrativa do paciente, como França, Alemanha e Estados Unidos, em busca de respostas para o diabetes e a obesidade.

Conteúdos Relacionados