Buscar

Comprovado: o contato com a natureza faz TUDO isso pela sua saúde

Maior Menor
Ana Paula de Araujo

Ana Paula de Araujo

Editora

Um estudo feito no Reino Unido mostrou que bastam duas horas por semana em contato com a natureza para ter mais saúde e bem-estar. A ciência já descobriu, ainda, que essa relação beneficia o coração e muito mais. Saiba como aproveitar.

Meses em casa, olhando para paredes de concreto. Parece que o corpo começa a pedir algo diferente, mais ancestral. Longe de ser papo de hippie, o chamado para viver mais a natureza vem sendo comprovado cientificamente.

Um estudo conduzido por pesquisadores da University of Exeter, no Reino Unido, mostrou que passar 120 minutos por semana perto da natureza está relacionado a boa saúde e bem-estar.

A pesquisa, que envolveu cerca de 20 mil pessoas, também percebeu que este padrão era ainda mais consistente em indivíduos mais velhos e aqueles com problemas de saúde de longo prazo.

Este não é o único estudo nesse sentido. Outros já mostraram que viver em áreas urbanas com mais verde traz diversos benefícios à saúde, inclusive menor risco de desenvolver doenças cardiovasculares e diabetes — mostram ensaios publicados no jornal científico Nature e no Diabetes Journal, da American Diabetes Association.

Qual é a relação entre natureza e bem-estar?

Embora o mecanismo que relaciona a natureza à saúde em geral ainda esteja sendo estudado, a medicina antroposófica traz pistas deste fenômeno.

De acordo com o Dr. Mikhael Marques, médico antroposófico e especialista Jolivi, o ser humano é formado por quatro corpos: físico, etérico, astral e o espírito, que é o “eu”. Cada um deles traz semelhanças a algum outro reino da natureza, exceto o último, que é exclusividade humana. Por exemplo, o corpo etérico tem semelhanças com o reino vegetal.

“Na natureza, estamos em contato com seres vivos, principalmente com o reino vegetal, que traz muita vitalidade, energia vital e estímulos saudáveis”, diz o Dr. Marques, responsável pelo programa Saúde Transformadora na Jolivi. 

Como ter mais contato com a natureza em plena cidade grande?

“Aproveite os sons na natureza, aromas, ar puro, contato com a terra. Sabe-se sobre o aterramento, de botar o pé na grama, na terra, de botar energia ruim pra fora e pegar energia boa, o chamado grounding”, aconselha o Dr. Mikhael Marques.

O nome estrangeiro batizou uma atitude simples, muito comum na infância: pisar na grama ou terra com os pés descalços. O grounding, ou aterramento, tem ação antioxidante graças à troca de elétrons do solo para o corpo através da planta dos pés.

“Na natureza, estamos em contato com seres vivos, principalmente com o reino vegetal, que traz muita vitalidade, energia vital e estímulos saudáveis”, diz o Dr. Marques

O resultado: ritmo cardíaco mais harmonioso, diminuição de inflamação, redução da dor e promoção do sono saudável. Essa relação já foi comprovada por um estudo publicado no científico Journal of Inflammation Research, que apontou efeitos do grounding em reduzir a dor e interferir nos fatores químicos circulantes no organismo relacionados à inflamação

Por isso, mesmo para quem mora em cidade grande, uma das primeiras atitudes para colher os benefícios da natureza é caminhar na terra ou na grama com os pés descalços. Até mesmo sentar neste solo por um tempo traz o efeito desejado.

Porém, quem não tem acesso a terrenos propícios não precisa ficar de fora.

“Cultivar uma uma hortinha, ter plantas em casa e, dentro do possível, sair em busca de parques na cidade ou um pouco mais longe é interessante para ter esse contato maior”, aconselha o Dr. Mikhael Marques.

Tenha plantas em casa: sua saúde agradece

Para o Dr. Mikhael Marques, cuidar de plantas e da terra também é uma maneira de aprender a cuidar e alimentar nossos diversos corpos. Por exemplo, a terra permite contato com o reino mineral — que, para a antroposofia, tem semelhança com nosso corpo físico.

Já as plantas, do reino vegetal, se assemelham ao corpo etérico e, por fim, as minhocas da terra pertencem ao reino animal — relacionado ao nosso corpo astral, dos sentimentos.

Até mesmo as abelhas que chegam para colher pólen das flores ajudam neste equilíbrio. Este contato pode vir por meio dos chamados meliponários urbanos — que são como coleções de colmeias de abelhas sem ferrão —, presentes nas cidades, e no cultivo de flores, especialmente as melitófilas, que atraem os bichinhos.

Não precisa ter medo: existem diversas espécies nativas sem ferrão e mansas, que apenas somam neste contato com a natureza. A saúde física e mental agradecem!

Um DOCE para baixar a glicemia?

Estudos científicos recentes comprovaram que ESTE líquido adocicado é capaz de reduzir os níveis de açúcar no sangue -- mesmo em pacientes diabéticos. E o melhor: é totalmente natural, nada a ver com produtos “diets”.

Descubra aqui qual é este doce natural.

Referências:

Spending at least 120 minutes a week in nature is associated with good health and wellbeing. Link: https://www.nature.com/articles/s41598-019-44097-3

Neighborhood greenspace and health in a large urban center. Link: https://www.nature.com/articles/srep11610

Is Neighborhood Green Space Associated With a Lower Risk of Type 2 Diabetes? Evidence From 267,072 Australians. Link: https://care.diabetesjournals.org/content/37/1/197

Ana Paula de Araujo

Ana Paula de Araujo

Editora

Conteúdos Relacionados