Buscar

ESTÁ EM QUARENTENA? A JOLIVI LIBEROU ACESSO GRATUITO À BIBLIOTECA DA SAÚDE NATURAL

Colesterol LDL pode causar um infarto: mito ou verdade?

homem sofrendo de infarto
Maior Menor
Doutor Victor Sorrentino

Especialista: Doutor Victor Sorrentino

Médico e Autor do livro "Segredos Para Uma Vida Longa"

4 março 2020

Médico e Autor do livro "Segredos Para Uma Vida Longa"

Se eu te contasse quantos pacientes me procuram, desesperados, com o exame de colesterol em mãos, você não acreditaria.

Tenho amigos cardiologistas que enfrentam a mesma questão: o pânico generalizado em relação ao colesterol LDL, batizado erroneamente de colesterol ruim.

Talvez seja até o seu caso e é por isso que estou aqui, para te abrir os olhos para esse que considero ser um dos maiores tabus da medicina.

O que acontece é que o colesterol é acusado, injustamente, de ser o maior causador de doenças cardiovasculares, e eu entendo o pavor que elas provocam.

São mais de 1.000 mortes por dia, cerca de 43 por hora – ou uma morte a cada um minuto e meio, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia.

O culpado, porém, está longe de ser o LDL.

Veja, o problema começa logo aí: poucas pessoas, incluindo meus colegas de profissão, sabem explicar o que é o colesterol, qual é a sua função, onde o real perigo se encontra.

O que é colesterol?

Para começo de conversa, essa molécula colesterol é fundamental para a nossa sobrevivência.

Ela ajuda na síntese de hormônios, contribui para a estrutura das membranas celulares e, na medida certa, repara danos no interior dos vasos sanguíneos.

E por que, então, o colesterol foi demonizado?

Por que o colesterol foi taxado de vilão?

São interesses obscuros e manipulações de toda sorte que sustentam essa má fama do colesterol.

No entanto, em nome da sua saúde de verdade, eu fiz a lição de casa. Mergulhei em inúmeros estudos científicos. Li, de ponta a ponta, e tenho a minha prática clínica que mostra o quanto a culpa do colesterol está sendo mal interpretadas.

homem sofrendo de infarto

Errou quem te disse que colesterol aumenta o risco de infarto

É mito: “colesterol alto pode causar um infarto”

Olha só: um estudo muito impactante – e pouco conhecido – aponta que 75% dos pacientes hospitalizados por infarto nos EUA estavam com os níveis de LDL normais.

Essa pesquisa foi feita com 136 mil pacientes internados em 541 hospitais, entre 2000 e 2006.

Já uma análise de 22 grandes estudos publicados, que avaliou a reedição do colesterol na prevenção de doença coronariana, concluiu que reduzir o LDL não impacta a mortalidade, e é pouco provável que previna doença cardíaca coronariana (Ravnkov, 1992).

É por isso que eu digo que tudo o que você sabe sobre o colesterol está ERRADO.

Colesterol LDL não é ruim?

O colesterol LDL é muito mais do que uma molécula do mal. Um estudo realizado em 2010, por exemplo, descobriu que existem 11 subtipos de LDL – e só DOIS deles são ruins, de fato.

Estes dois subtipos em questão, são moléculas muito pequenas, que podem invadir a camada mais superficial do interior dos vasos sanguíneos.

Mas isso só ocorre se essa cama do vaso estiver lesionada. E não é o colesterol que “machuca” essa proteção, entende?

É praticamente culpar o policial que está na cena do crime de ser o autor do ato errado.

Já as outras 9 formas de LDL não são nocivas de forma nenhuma e não deveriam ser zeradas, já que têm papel até na produção dos hormônios sexuais, como a testosterona.

Mas não é a recomendação com a qual muitos de vocês saem do consultório, não é mesmo?

Eu sei o que acontece.

Ao fim da consulta, o médico passa duas orientações desastrosas:

  • A primeira: tome aqui uma estatina
  • A segunda: pare de comer gorduras

Os perigos de tomar estatinas

Sobre a primeira recomendação que pode estar equivocada, eu preciso te contar.

Esse medicamento chamado estatina, além de diminuir o Colesterol LDL, esconde o verdadeiro perigo, pode levar a problemas como:

  • baixa energia
  • falta de libido e impotência
  • risco aumentado para depressão
  • diabetes
  • sarcopenia (perda de massa magra), entre outros.

Por isso, em vez de apenas temer o colesterol e tomar estatina sem nenhum questionamento, eu recomendo que você abra os olhos para outros fatores, como o exame de triglicérides.

Quanto mais alto o triglicérides, maiores são as chances de encontrarmos moléculas pequenas de LDL no sangue, que são aquelas que conseguem se infiltrar nas paredes dos vasos sanguíneos.

E o que aumenta o triglicérides, Victor? Carboidratos em excesso, farináceos, alimentos processados e gorduras de má qualidade (hidrogenada e trans).

Viu que eu falei gorduras de má qualidade? É aí que entra a importância de me aprofundar no assunto…

Sim, gordura faz bem à saúde

Gorduras presentes em carnes, banha de porco, bacon, ovos, azeite de oliva e oleaginosas, sem exagero, não oferecem nenhum perigo.

O problema é que, no desespero para baixar o colesterol, muito pacientes acabam eliminando as gorduras boas do cardápio, aumentando o consumo de carboidratos.

Gorduras boas: salmão, azeite, abacate, azeite de oliva e castanhas

Consumir gorduras boas pode ser benéfico para o seu coração

E olha só: uma meta-análise de 21 estudos, incluindo 347 mil indivíduos seguidos por entre 5 e 23 anos, concluiu que a ingestão de gordura saturada não aumentou o risco de doença coronariana ou AVC (SIRI-TARINO et. al., 2010).

Portanto, você não precisa ter medo das gorduras de origem animal.

O importante é saber que, dentro de um contexto alimentar equilibrado, com boa nutrição, gorduras presentes em comida de verdade estão liberadas, desde que não haja excesso.

Vitamina B12: o nutriente que fortalece o seu coração

Por fim, quero terminar essa nossa conversa falando de um nutriente que realmente salva o seu coração de danos irreparáveis: a vitamina B12.

Se você quer, de fato, proteger o seu coração, comece esquecendo tudo o que já te falaram sobre colesterol e comece a valorizar a B12 na sua alimentação.

Essa vitamina, juntamente a outras do complexo B, ajuda a frear os danos das paredes arteriais e que pode estimular a formação de coágulos sanguíneos e placas de gordura.

Como eu expliquei antes, o perigo para doença cardíaca está na lesão dessa parede e não no colesterol que circula dentro do vaso.

São boas fontes de vitamina B12 justamente os alimentos de origem animal, tais como: bife de fígado, marisco, ostras, salmão, queijo fresco e ovos.

Outra opção é fazer a suplementação otimizada deste nutriente, sempre em dosagens adequadas.

Mas atenção: não basta ir na farmácia comprar a vitamina B12 para se afastar do risco cardiovascular.

É preciso, antes, se concentrar na construção de uma boa saúde, de modo que você esteja apto a absorver todos esses nutrientes.

E eu vou te ajudar nessa construção, não tenha dúvidas. E vou quebrar todos os mitos médicos que podem te adoecer.

Continue comigo para desvendar o verdadeiro caminho da saúde.

Doutor Victor Sorrentino

Especialista: Doutor Victor Sorrentino

Médico e Autor do livro "Segredos Para Uma Vida Longa"

4 março 2020

Médico e Autor do livro "Segredos Para Uma Vida Longa"

Conteúdos Relacionados