Dossiê

Olá, seja bem-vindo.

Meu nome é Leonardo Aguiar, sou médico, cirurgião plástico e, na Jolivi, responsável por algumas das recomendações de saúde gratuitas que você recebe no boletim Sua Saúde Natural, as nossas e-letters.

Meu compromisso é te ajudar a impedir que o estresse e outras doenças continuem exercendo o papel de vilão da sua saúde e do seu bem-estar.

Faço isso por meio das minhas contribuições nos dossiês mensais, junto dos outros médicos consultores da Jolivi.

Mas, especificamente para o estresse, preparei um programa especial, que você terá acesso a partir de agora. Vamos transformar definitivamente o estresse em seu aliado.

Agora você deve estar se perguntando: “Mas por que a Jolivi tem um cirurgião plástico falando sobre o estresse? O que isso tem a ver com o ramo de atuação dele? Será que os caras estão loucos?”

Continue comigo, pois logo você enxergará como posso te ajudar.

Sua saúde e seu conhecimento serão transformados com este conteúdo. Se preferir, você pode assistir a versão em vídeo desta 1ª fórmula, clicando aqui. Para acessar, insira a senha dossie no local indicado.

O início

Pensei na melhor maneira de começar, e nada é tão representativo como a história de um paciente meu, o João Antônio.

João Antônio chegou ao meu consultório aos 52 anos e me fez mudar completamente a forma como eu exerço a medicina. Mais do que isso.

João escancarou para mim que eu precisava, definitivamente, mudar o jeito como eu mesmo lidava com o estresse.

Isso porque o João apareceu para mim obeso, pré-diabético, infeliz, cansado e descrente com a própria vida.

João parecia comigo.

João poderia ser você.

A falsa solução

E neste quadro todo de complexidade de saúde, João chegou para mim querendo fazer uma cirurgia plástica para retirar o excesso de pele das pálpebras.

Logo após o pedido do meu novo paciente, assim com voz um pouco baixinha, quase que pedindo segredo, ele emendou:

e quem sabe não podemos aproveitar a anestesia para operar o meu olho e já tirar um pouco desta barriga de chope que há anos me acompanha…

Sou médico, cirurgião plástico, tenho família e preciso pagar minhas contas. Então, você deve imaginar qual foi a minha resposta quando eu ouvi aquelas solicitações do paciente.

Minha resposta foi um NÃÃÃÃÃÃO, bem forte.

Surpreso?

Isso porque João lembrava muito meu pai.

Eu perdi meu pai muito cedo. Ele morreu aos 60 anos.

Assim como o João, meu pai era fumante, diabético e quis cuidar da sua vida só quando a doença apareceu. Foi apenas quando surgiu a primeira pane cardíaca que ele decidiu mudar coisas fundamentais na sua jornada, como alimentação, exercícios físicos e tudo mais.

Mas não deu tempo…

Porque meu pai fez o gerenciamento da doença e não da saúde.

Além disso, em suas decisões, o estresse também não ganhou destaque como um fator de risco a ser combatido.

shutterstock_97967198

Exemplo a ser seguido

Vendo o João, meu paciente, todo nervoso, estressado, e em quadro de saúde nada favorável, eu me dei conta que a experiência do meu pai tinha me transformado muito, mas ainda era preciso ir além.

Porque depois de perder meu pai tão novo, no auge da sua vida, eu mudei a minha alimentação, comecei a correr e tudo mais.

Porém, continuava estressado, comandado pela ansiedade, e assumindo mais compromissos do que poderia cumprir – deixando coisas importantes em escanteio.

João também se portava daquela maneira e, de alguma forma, ele depositava no bisturi a solução para todos os seus problemas.

Não, gente. Definitivamente, a cirurgia não seria capaz de promover aquele milagre, nem se eu usasse os melhores aparelhos e técnicas médicas.

Fazendo diferente

Junto com João Antônio, nós criamos um plano de gerenciamento do estresse, que também vai te ajudar. E muito.

Fizemos esta parceria usando o princípio de co-criação da saúde, em que o paciente está no centro do tratamento, com as rédeas da tomada de decisão e não mais terceiriza os cuidados para o médico.

Não mais terceiriza porque sabe que a solução – definitiva e eficaz – depende única e exclusivamente dele.

Em nossa caminhada, mostrarei como o estresse influencia diretamente na sua escolha alimentar, fazendo com que você coma de forma compulsiva. Ou seja, domar o estresse é também um passo decisivo para você comer melhor, e fazer as pazes com a balança.

Nas próximas 20 semanas você vai entender que o estresse em excesso é como um copo de veneno que você toma.

E sabe o que acontece quando você está em situação de estresse constante?

  • Ele eleva a sua pressão arterial e compromete a circulação do sangue, já que os vasos sanguíneos ficam mais rígidos;
  • As células também ficam enferrujadas e com mais dificuldade de eliminar as impurezas tóxicas para o corpo;
  • O estresse também deixa o metabolismo mais lento e o intestino preguiçoso;
  • O cérebro entende que você precisa de muita energia para vencer a fadiga e manda a mensagem que você precisa comer coisas muito calóricas, como doces e massas;
  • Afeta as glândulas suprarrenais te dando uma sensação de cansaço;
  • Para dar conta de todas essas calorias, o seu pâncreas é estimulado a trabalhar muito e também fica exausto;
  • O corpo todo fica inflamado, e as dores são espalhadas;
  • O seu sistema de defesa – chamado sistema imunológico – é convidado a dar conta disso tudo e sem querer se distrai. Abrem-se, então, as portas para a entrada de vírus e bactérias.

Relação perigosa

É por isso, por conta desse veneno, que o estresse é relacionado a infarto, diabetes, câncer, impotência sexual e problemas de saúde tão diferentes.

E aí que vem a parte boa. Nessa nossa caminhada, nas próximas semanas, vou te contar que a música, o cinema e as artes têm comprovação científica como ótimos gestores do estresse.

Vamos te ajudar a organizar a vida financeira e a social. Preparamos até um guia de alimentos que te fortalecem neste processo.

E, para isso, o seu primeiro passo será construir uma planilha simples.

Ihhhhhh…. Torceu o nariz? Acha impossível, complicado, uma bobagem gerenciar o estresse com uma planilha?

Te digo: Não é.

É simples, efetivo e barato. Mudou a minha vida e pode mudar a sua.

Então, em alguns dias, eu volto para aprofundar as explicações sobre o impacto do estresse na sua saúde e prometo orientações para você virar este jogo.

E, no final dos nossos encontros, dentro de algumas semanas, finalizarei esta nossa caminhada com mais um vídeo.

Você já estará capacitado para ter a sua própria planilha, e eu vou te ajudar a construí-la e a preenchê-la. Prometo também trazer notícias do João Antônio.

Boa trajetória e até breve.

O próximo assunto você não pode perder: vou falar sobre como dar o 1º passo decisivo para mudar de vida.

Não perca!

assinatura_jolivi@LEO