Não dá mais para ignorar os efeitos negativos do glúten e da lactose

Maior Menor

No último sábado, dia 4 de fevereiro, o Dr. Drauzio Varella, um dos médicos mais famosos e renomados do Brasil, abordou o tema nutrição em sua coluna semanal, no jornal Folha de S. Paulo.

Já com o título, “Glúten, lactose e outras modas”, era possível saber exatamente a ferida que seria remexida. Tem sido cada vez mais comum ouvirmos de nossos conhecidos, amigos e familiares que eles retiraram de suas rotinas essas substâncias citadas por Drauzio.

Pode ser que a gente mesmo não consuma as tais substâncias e, ao abrir o jornal, nos deparamos com alguém deste gabarito descreditando nossas escolhas ou necessidades.

É real que muitos adeptos das dietas #glutenfree e #semlactose acreditam – e propagam por aí – que são eles os facilitadores das gordurinhas a mais e que por isso merecem receber dedos em riste.

De fato, acreditar que a barriga vai ficar chapada, o tríceps definido e o bumbum na nuca porque essas substâncias foram cortadas da dieta é sim puro modismo. É superficial acreditar que glúten e lactose interferem apenas nos números que aparecem na balança.

Mais superficial ainda, entretanto, é basear-se apenas nestas consequências para criticar recomendações sérias e com fundamentos teóricos e exemplos práticos, como a retirada do glúten e da lactose.

Quem sofria com crises de asma e bronquite não fizeram uma mudança alimentar substancial por moda.

As pessoas que tinham enxaquecas fortíssimas, após adotarem uma dieta sem glúten e lactose, também não o fizeram por moda.

E mais, quem padecia de resistência insulínica e caía nas armadilhas de produtos light e diet também não entraram na dieta #glutenfree e #semlactose por moda.

A falta de respostas as levou a procurar essas recomendações.

Excesso de modismo?

De forma correta e precisa, o Dr. Drauzio destaca o excesso de modismo desse tipo de dieta bem como das informações que circulam nas redes sociais sobre saúde e alimentação.

A quantidade de mensagens equivocadas que podem ser encontradas por aí crescem rapidamente, assim como a velocidade em que essas informações podem ser compartilhadas.

Doutor Drauzio também faz um alerta para diminuição de expectativa de vida da população devido a distorções em nosso comportamento alimentar, que está diretamente ligado ao surgimento e ou agravamento de doenças.

alimentação

O que fez falta

O que deixou de ser abordado por Varella é que tanto o glúten quanto a lactose são substâncias com alto potencial alergênico.

E se você acompanha a Jolivi há algum tempo, sabe que a alimentação segura é uma das bandeiras que levantamos e defendemos.

Os peptídeos tóxicos que compõem glúten e lactose não são digeridos pelo organismo humano e podem causar inflamações e desequilíbrio no sistema imunológico. E isso acarreta doenças físicas e neurológicas.

Portanto, ignorar estes conhecimentos científicos e afirmar que as dietas sem glúten e lactose são apenas modismos em um dos jornais mais importantes do país torna a abordagem superficial.

Muitos adeptos de uma dieta sem a presença dessas substâncias, em um determinado momento de sua busca por qualidade de vida e cura, não receberam da medicina e da nutrição clássicas as respostas para seus questionamentos e problemas de saúde.

Então, foram atrás de profissionais e tratamentos que, embasados pelos inúmeros estudos que certificam o lado negativo desse consumo, têm em seus consultórios as experiências e resultados reais.

Você é um bezerro?

Aprendemos, sob forte influência da indústria alimentícia, que o leite é dono de um latifúndio em nosso cardápio. Tudo por conta de seu potencial proteíco e, principalmente, pela presença do cálcio, um nutriente que garante a boa formação e conservação dos ossos.

Nutricionalmente falando, a banda não toca dessa forma. Nosso organismo não é regido pelo leite de vaca.

O alto consumo de proteína de leite de vaca com a baixa defesa do organismo, para qualquer pessoa que não digere o leite de vaca, vai causar processos inflamatórios crônicos. E esses sintomas podem ser físicos, mentais ou emocionais.

E se, em seu artigo, o Dr. Drauzio endossa o consumo da bebida, em uma pesquisa simples na internet podemos observar que ele faz parte da campanha #BebaMaisLeite, que conta com 27 apoiadores, sendo que 25 fazem parte da indústria alimentícia e farmacêutica.

bezerro

Obesidade não é preguiça

Outro ponto em que a Jolivi diverge do Dr. Drauzio é sobre a obesidade.

Em sua coluna, o médico afirma que “a fartura e sedentarismo, gula e preguiça, criaram as raízes da epidemia de obesidade que assola o mundo”.

Dessa forma, estar fora do peso passa a ser uma questão moral e não fisiológica. É sabido que a obesidade é um processo inflamatório crônico de baixa intensidade, que acontece em consequência de resistência insulínica e deficiência nutricional, principalmente o ômega 3.

É claro que sempre vamos defender também que, entre os bons e verdadeiros hábitos de saúde, estão as práticas de exercício físico.

Entretanto, pela natureza da obesidade, sabemos que apenas ir à academia diariamente, não vai adiantar nada. É preciso uma mudança profunda sobre a forma de consumir os alimentos e de pensar as refeições.

A verdade

A Jolivi tem esse forte compromisso com seus leitores de apresentar alternativas contundentes, embasadas e comprovadas para a saúde e bem-estar.

Porque não existe apenas uma única fórmula, baseada em receituários, de se praticar a medicina e que vai fazer a sua vida se transformar.

É possível sim encontrar nos alimentos dados pela natureza o grande degrau para uma saúde definitiva e equilibrada. São eles que fornecerão os nutrientes essenciais para essa contínua escalada.

Para saber como e quando usá-los, a Jolivi oferece o seu produto editorial Remédio Natural.

A cada edição, a Drª Denise Carreiro, por meio de uma videoaula exclusiva, desmistifica um tema relacionado ao bem-estar e saúde. Já abordamos a alimentação segura, as dietas detox, a soja, o glúten e o leite de vaca.

Ao assinar o Remédio Natural neste momento, você terá acesso a todas edições, que também contam com receitas em vídeos, explicadas tintim por tintim, para que você coloque em prática os ensinamentos e recomendações da nossa consultora, que interferem diretamente na sua saúde.

Se ao comermos um alimento estragado, já sentimos os sintomas em poucas horas, podemos sentir os efeitos benéficos de uma alimentação segura com a mesma rapidez.

Caso você sinta que não chegou o momento de assinar o Remédio Natural, sem problemas. Continue a nos acompanhar por meio de nossos conteúdos gratuitos.

RECEBA O REMÉDIO NATURAL

 

Insira seu e-mail e receba nossos conteúdos gratuitos sobre saúde natural: